O Palmeiras tem confronto importante amanhã contra o Atlético-MG. O jogo marca a quarta rodada do Campeonato Brasileiro e deve esquentar o Allianz Parque. Mais de 23 mil ingressos já foram vendidos e a torcida do Verdão promete empurrar até o final.

No meio da semana, o Verdão passou de fase na Copa do Brasil e alçou para as quartas de final. A classificação foi muito comemorada pelos jogadores mesmo com a derrota para o Internacional. O gol anotado fora de casa garantiu a passagem alviverde. O técnico Cuca deixou Porto Alegre bem preocupado com o desempenho da equipe, que não teve liberdade para atacar e viu uma enorme pressão da equipe colorada.

Publicidade
Publicidade

Considerado o melhor e mais capacitado elenco do Brasil, o treinador obviamente é cobrado por resultados. Mesmo com pouco tempo no cargo, Cuca recebe pressão, principalmente da torcida. A Copa Libertadores é o objetivo principal do clube no ano e, sem dúvida, manter boas partidas trará ainda mais esperança.

Novo reforço?

Ainda no Sul do Brasil, Cuca concedeu entrevista coletiva e falou sobre a necessidade de um novo camisa 9. Ele confirmou que ainda acredita muito em Miguel Borja, mas um novo atleta seria de profunda importância para o elenco evoluir. Um reserva para o colombiano também poderia fazê-lo desabrochar de vez e acelerar a adaptação ao Brasil.

Vários nomes já foram citados pela imprensa esportiva. Jhonatan Calleri, Sassá e Diego Tardelli são os nomes da vez. Tardelli é o mais especulado inclusive.

Publicidade

O ex-jogador do Atlético-MG está passando férias no Brasil e segundo alguns jornais, está conversando com a diretoria palmeirense.

A Crefisa, patrocinadora do #Palmeiras, não vê problema algum em tentar trazer um novo jogador. O único problema, ao ver tanto da empresa quanto da diretoria do clube, é que não pode mais ser 'qualquer um'. Precisa ser um atleta que chega para ser titular e resolver, jogando no time de Cuca ou afrontando diretamente a vaga de Borja no setor ofensivo.

Cuca chegou a dizer (e depois reiterou e corrigiu as palavras) que o time de 2016 é melhor do que o time de 2017. As saídas de Gabriel Jesus, vendido para o Manchester City, Vitor Hugo, vendido para a Fiorentina, e a lesão grave de Moisés, que o deixou no 'estaleiro' por meses, foram fatores primordiais para a queda de desempenho. O curioso é que o time de 2016 não conseguiu passar da primeira fase da Libertadores, ao contrário do elenco atual que já conquistou a vaga. #Mercado #Futebol