Mesmo sendo o time que mais contratou no Brasil nos últimos dois anos, o Palmeiras ainda não está satisfeito com o seu plantel. A rajada de contratações começou em janeiro de 2015 quando Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, chegou para comandar o departamento. Foram mais de 85 reforços durante o tempo e dois títulos: a Copa do Brasil 2015 e o Campeonato Brasileiro de 2016.

O começo de 2017 não foi muito positivo, apesar de mais uma gama de reforços. As chegadas de Hyoran, Keno, Felipe Melo, Alejandro Guerra e Borja não tiraram o time das dificuldades. Contra o Fluminense, no sábado, o alívio: vitória após três derrotas.

Publicidade
Publicidade

Cuca, por incrível que pareça, já se sentia pressionado pela falta de resultados. Com menos de um mês no comando técnico, já sentia as dificuldades de comandar um elenco numeroso e de qualidade.

Assim como 2016, Cuca vai acertando e melhorando. Na quarta, contra o Santos, será a verdadeira prova de fogo onde Cuca poderá finalmente confirmar o time titular. Com oito pontos, o Alviverde precisa pontuar fora de casa para não ficar para trás no Brasileirão.

Novo reforço

Segundo Paulo Vinícius Coelho, jornalista do canal de TV Fox Sports, o #Palmeiras deve confirmar durante a semana a chegada do volante Bruno Henrique, do Palermo-ITA. Campeão Brasileiro com o Corinthians em 2015, Bruno foi para o futebol italiano e acabou rebaixado. Sem clima para continuar, quer retornar ao Brasil. O Palmeiras negociou com o time italiano e deve confirmar a compra por R$ 16,9 milhões.

Publicidade

Ainda segundo PVC, a diretoria e a comissão técnica querem um substituto direto para Felipe Melo, além de Thiago Santos. Melo passará por alguns exames e uma provável lesão pode ser detectada.

Mas e o atacante?

Com a negativa do Fluminense por Richarlison, o Palmeiras deve iniciar novamente a busca por outro atacante. Diego Tardelli, que estava passando férias no Brasil, não quer retornar para o país. A diretoria procura agora um centroavante na América do Sul ou até mesmo em outras divisões do futebol brasileiro.

Pelo terceiro jogo seguido, Cuca pede um jogador para a posição. O maior receio do treinador é que Miguel Borja demore para se adaptar e o time sinta carência de uma referência ofensiva. Por enquanto, Willian e Keno devem seguir sendo as opções mais diretas do treinador.

A Crefisa, patrocinadora do clube, ainda não foi informada sobre a pretensão de nenhum nome. Em entrevista recente, Leila Pereira, presidente da empresa, garantiu que se for procurada, ajudará. #Mercado