O Palmeiras ainda não deixou o #Mercado da bola e dificilmente fará isso tão cedo. Focado na conquista da Copa Libertadores 2017, o Alviverde está disposto a lutar bastante pelos seus interesses. O volante Bruno Henrique é o novo reforço do clube alviverde e até já postou um vídeo nas redes sociais comentando sobre o negócio.

O ex-corintiano deve substituir Felipe Melo e brigar com Thiago Santos pela vaga. Melo passou por cirurgia na mão e deve voltar entre quatro e seis semanas.

Falta um atacante. Pelo menos é o que deixa claro o técnico Cuca em suas entrevistas coletivas. O torcedor palmeirense também sente falta de uma referência no ataque, já que Miguel Borja, que veio do Atlético Nacional, da Colômbia, como grande reforço, ainda não desencantou.

Publicidade
Publicidade

Aliás Borja é uma preocupação grande de Cuca, que está fazendo um trabalho especial de adaptação com o colombiano. A diretoria não quer nem imaginar que ele pode não vai virar no time principalmente por conta dos valores envolvidos na transação. Além da questão financeira, o #Palmeiras se esforçou bastante para confirmar o negócio.

No ataque?

O diretor de #Futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, atacou para cima de Richarlison, do Fluminense. As conversas com os empresários do atleta, porém, pegaram mal nas Laranjeiras.

Primeiro porque o início do negócio aconteceu um dia antes do duelo contra o próprio Palmeiras, no Allianz Parque. Richarlison informou ao técnico Abel Braga que não teria condições psicológicas de enfrentar o adversário e pediu para não viajar. Segundo que o Palmeiras quis tudo muito rápido, deixando a diretoria tricolor um pouco atordoada.

Publicidade

Depois de receber a negativa do time carioca, o Palmeiras mudou a estratégia. A diplomacia entrou em jogo desta vez. Genaro Marino, vice-presidente do clube paulista, viajou para Assunção, no Paraguai, para acompanhar o sorteio da Libertadores. Ao seu lado viajou Cacá Cardoso, vice do Fluminense.

Durante o voo, ambos conversaram bastante sobre o negócio, mas não chegaram em um acordo. Marino insistiu que o Palmeiras não quis de forma nenhuma prejudicar o Fluminense, mas a situação não ajudou muito.

Assim que desembarcou, Cardoso foi enfático mais uma vez e dizer que não tem negócio e que Richarlison vai enfrentar o Grêmio, nesta quinta-feira (15), pelo Campeonato Brasileiro. De acordo com o portal Globo Esporte, o Alviverde está disposto até em aumentar a proposta, chegando a praticamente R$ 40 milhões.

O valor é considerado alto para os padrões brasileiros. Tanto que se o negócio for confirmado, será a transação mais cara do futebol nacional entre clubes brasileiros.