O sábado promete ser agitado nas Laranjeiras. Através das redes sociais, membros das principais #torcidas organizadas do #Fluminense divulgam que, na manhã da véspera do clássico de domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, diante do Flamengo, válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, irão até a sede do Tricolor para realizar uma série de cobranças junto aos membros da atual gestão, especialmente a chegada de reforços.

Segundo os tricolores, o grupo dirigido por Abel Braga não é fraco, mas não tem a experiência capaz de levar o Fluminense aos primeiros lugares nas competições que disputa. A principal delas, obviamente, o Campeonato Brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Na iminência de uma crise, o vice-presidente de futebol, Fernando Veiga, concedeu entrevista ao Globoesporte nesta sexta e garantiu que, mesmo diante das enormes dificuldades financeiras por que atravessa o clube, existem negociações em andamento.

De acordo com o dirigente, um volante e um lateral-esquerdo são os principais focos no mercado. Veiga, porém, não quis estabelecer prazo para apresentar um novo jogador.

Depois de quase vinte anos, Fluminense e a Unimed, no final de 2014, interromperam uma parceria vitoriosa, que, além de jogadores renomados no seu elenco, casos de Romário, Edmundo, Fred, Dario Conca, dentre outros, gerou dois títulos de Campeonato Brasileiro (2010 e 2012), três Campeonatos Cariocas (2002, 2005 e 2012), uma Copa do Brasil (2007), sem contar os vices da Taça Libertadores da América de 2008 e da Copa Sul-Americana de 2009.

Publicidade

Sem o aporte financeiro da empresa médica, o Tricolor passou a adotar a política de valorizar ainda mais a prata-da-casa, ou seja, os jogadores revelados nas suas categorias de base. Desde então, a única conquista foi a Copa da Primeira Liga, no ano passado.

Em novembro de 2016, assim que ganhou as eleições para presidente do clube, Pedro Abad prometeu investir na vinda de cinco a seis jogadores, sendo que um deles viria com status de ídolo. Aos poucos, contudo, foi mudando o discurso e, recentemente, chegou a dizer que o Fluminense iria ao mercado em extrema necessidade e as contratações seriam baseadas nos atletas que retornariam de empréstimos ou estivessem no Flu-Samorin, equipe da Série B da Eslováquia, formada para internacionalizar a marca da agremiação na Europa.

Na última quinta, ao ser derrotado pelo Grêmio por 2 a 0, no Maracanã, o Fluminense chegou a três jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro e, depois de frequentar a parte de cima da tabela, despencou para o 10º lugar da classificação do principal certame do futebol nacional. #PaixãoPorFutebol