Publicidade
Publicidade

Uma grande polêmica acaba de surgir envolvendo o nome do comentarista do “BB Debate”, do canal ESPN Brasil Alexandre Oliveira. Segundo informações publicadas na coluna do jornalista Léo Dias, do Jornal O Dia, após um desentendimento com uma maquiadora da emissora, Alê (como é mais conhecido), teria praticado um ato de racismo, chamando-a de “preta de merda”. A briga teria ocorrido há uma semana.

A direção da emissora apurou e o caso e confirmou que houve um desentendimento sim, mas, segundo a própria maquiadora, não houve qualquer tipo de ofensa racial. A direção garantiu ainda que puniria o comentarista se fosse comprovado o racismo, pois não tolera discriminação.

Publicidade

O caso ganhou enorme repercussão nesta manhã (26) nas redes sociais e foi através dela que Alê Oliveira respondeu, ao postar uma foto com sua esposa, filha e duas enteadas. O comentarista explicou que era sua família e que o que fizeram foi uma covardia que não o atingia, mas sim, as pessoas de sua família. Alê ainda afirmou estar enojado, mas que sabe que o bem sempre vence e os responsáveis irão pagar.

O comentarista não participou do BB Debate de hoje, segundo o apresentador Bruno Vicari, a decisão teria sido da emissora, mas também há a versão de que #Alê Oliveira tenha ido a uma delegacia para prestar queixa sobre a falsa acusação e que não teria condições emocionais de participar da programa.

Fama de brincalhão e boleiro

Alê Oliveira foi jogador de futsal e começou a trabalhar no ESPN Brasil comentando jogos dessa modalidade.

Publicidade

Com o tempo, passou a participar de programas de debate e a comentar algumas partidas de futebol sempre com um estilo brincalhão, muitas vezes, quase interpretando um personagem que tenta fazer piadas engraçadas, mas se dá mal. Mas foi no programa “BB Debate” que o comentarista virou um fenômeno de popularidade, sendo até chamado de mito ou monstro.

Outra polêmica com Alê Oliveira

As brincadeiras de Alê Oliveira agradavam tanto a audiência que ele tinha direito até a um “decreto” às sextas, que era quando ele contava, com vários trocadilhos e piadas, o que faria naquela noite. O quadro terminou em dezembro do ano passado após ele dizer “Assistiu o penta? Já aguenta”. O comentário não agradou a muitos que viram nela uma brincadeira de péssimo gosto. Ele se defendeu dizendo que maldade estava na cabeça e que não teve a intenção que alguns interpretaram.

A expectativa agora é se Alê Oliveira e/ou a maquiadora explicarão definitivamente o que ocorreu, pois na era da internet, muitos "juízes" já se dão o direito de condenar ou inocentar um dos lados. #EspnBrasil #Acusação de racismo