Publicidade
Publicidade

Se alguém ainda duvida da informação passada pela imprensa na noite desta sexta-feira (28), agora podem se dar por convencidos. Após a vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, neste sábado (30), no Allianz, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Cuca anunciou que o volante Felipe Melo não jogará mais pelo Palmeiras [VIDEO].

O treinador palmeirense lembrou os grandes clubes onde #Felipe Melo jogou e disse entender que o atleta fique insatisfeito por estar no banco de reservas. “Natural que este tipo de jogador não se contente com uma ou outra situação de não estar jogando”, justificou #Cuca, lembrando a personalidade forte que tem o jogador.

Publicidade

Cuca disse ter conversado com o volante e disse que seu estilo de jogo não se encaixada com o estilo de jogo implantado na equipe, afirmando que a decisão foi tomada visando evitar futuros problemas. “No futuro iria dar problema, não tenho dúvida, ele também não tem”. Cuca também afirmou que não existem laranjas podres no elenco, como foi especulado. “É um profissional preservado, não tenho nada a falar, mas na filosofia que trabalho hoje, não entendo a titularidade”, continuou.

A decisão de afastar o jogador e posteriormente liberá-lo para procurar outro clube, segundo o treinador foi tomada em conjunto com o diretor de futebol Alexandre Mattos e com o presidente Maurício Galiotte. De acordo com informações de bastidores, a goda d´água para o fim da passagem do volante pelo clube foi uma declaração dada pelo jogador após a eliminação da Copa do Brasil diante do Cruzeiro, na última quarta-feira (26), quando ele teria dito que “havia sacanagem no time”.

Publicidade

Cuca ficou sabendo e não gostou das palavras do jogador.

Ocupando provisoriamente a quarta colocação com 29 ponto em 17 jogos, o #Palmeiras volta a jogar na próxima quarta-feira (2), novamente pelo Brasileirão, quando vai até o Engenhão encarar o Botafogo, às 21h45.

Curta passagem

Depois de chegar com status de grande reforço do time, Felipe Melo deixa o Palmeiras após disputar 27 jogos e marcar dois gols. Em sua curta passagem também colecionou polemicas e confusões. Logo na primeira entrevista disse que daria tapa na cara de uruguaio com responsabilidade, algo que não pegou bem.

No primeiro jogo no Uruguai após a declaração, ele se envolveu em uma grande briga com os jogadores do Peñarol, sendo suspenso inicialmente por seis partidas, mas depois teve a pena reduzida pela metade. Em abril, durante um rachão, o jogador se desentendeu com o preparador físico Omar Feitosa e ambos acabaram multados pela diretoria.