O documentário independente "A Era do Peixinho" abrange todo o contexto das principais personas que foram e são responsáveis pelo crescimento e popularização do voleibol no Brasil, a melhora nas estruturas, a criação da CBV, os patrocínios e, principalmente seu adorado público.

O início da gestão de Carlos Arthur Nuzman na CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), inaugura um novo momento que foi importantíssimo para tornar o #Esporte no que ele é hoje. A produção do documentário teve início em Dezembro de 2016 com previsão para finalização no segundo semestre de 2017. E, para que tudo isso seja possível, o projeto conta com uma equipe de profissionais recém formados na área de audiovisual e comunicação que têm sede de arte e esporte.

Publicidade
Publicidade

Também conta com o apoio de atletas, ex-atletas, técnicos, ex-técnicos e comunidade esportiva.

Mas, por que contar essa história de luta e dedicação é importante?

  • Primeiro, aqui no Brasil nós temos uma das confederações mais admiradas e respeitadas do mundo.
  • Segundo, o número de produtos que aglomeram informações deste segmento sobre o esporte são poucos.
  • E, terceiro, este projeto tem o intuito não apenas de narrar uma história, mas também de incentivar os jovens a praticarem voleibol e até para os que já praticam, incentivar uma possível profissionalização. Além disso, após o sucesso de audiência do voleibol nas últimas Olimpíadas, que alcançou 46 milhões de telespectadores segundo a GFK. Decidimos que todos esses motivos são importantes para contar essa história.

O voleibol chegou ao Brasil, não se sabe ao certo se foi em 1915 ou 1916, mas desde então o número de praticantes e admiradores do esporte tem aumentado.

Publicidade

Aliado a isso, Carlos Arthur Nuzman, ex presidente da CBV, implementou uma boa estratégia na Confederação e oferece suporte para a qualidade do esporte sempre aumentar. Ao decorrer do tempo, o voleibol passou de amador para profissional e o número de fãs aumenta cada vez mais.

O jogo que mais marcou a história do voleibol foi Brasil x URSS, no Maracanã. Uma noite chuvosa que trouxe ao povo brasileiro, o maior jogo de vôlei da história do Brasil. Com o apoio de Luciano do Valle, grande nome do esporte na televisão, para trazer aos olhos da mídia os excelentes jogadores que já tínhamos e o tão amado esporte, o amistoso foi montado dentro do Maracanã e comportou mais de 100 mil espectadores.

A partir de tanto esforço de todos os envolvidos no vôlei brasileiro, o esporte começou a colher os frutos do que plantaram. O tempo passava, os jogadores e treinadores mudavam, mas a filosofia de treinamento e planejamento se manteve constante, garantindo a glória que carregam no peito até hoje.

Na direção e produção de Bruna Bittencourt, o projeto independente conta com uma equipe composta por Gustavo Zampoli, como assistente de produção e direção geral, Bony Conteville, Yara Oliveira, diretora de arte, Bruno Felix, designer de som e Rodolfo Turolla, compositor.

Publicidade

E claro, contamos com fotógrafos, músicos, editores, maquiadora e designers.

Além da equipe, este projeto conta com a colaboração de todos os tipos de pessoas, seja pessoa física ou pessoa jurídica e, através do site oficial do projeto, você pode entrar em contato com nossa equipe para sugestões, apoios, parcerias ou esclarecimentos e acompanhar todo o processo de desenvolvimento do projeto do início até o fim, além de ter acesso a artigos e entrevistas exclusivas. #aeradopeixinho #Filme