Dia 8 de dezembro de 2016. Ainda em meio à comoção pelo acidente da Chapecoense, o São Paulo anunciou oficialmente #Rogério Ceni como técnico para a temporada seguinte. O novo comandante, além do status de ídolo da época de jogador, chegou ao clube após seis meses na Inglaterra. Junto com ele chegou o auxiliar inglês Michael Beale, que estava na categoria sub 23 do Liverpool. Na pré-temporada Ceni chamava a atenção para seus métodos diferentes de treinamento. Dia 3 de julho de 2017. Após derrota para o Flamengo e entrar pela primeira vez na zona de rebaixamento, a diretoria anuncia o desligamento do treinador.

Em pouco mais de seis meses, a alegria de ter o maior ídolo comandando o time no banco de reservas foi se transformando em frustração por eliminações em competições e também o temor de ter que brigar contra o rebaixamento, algo que parecida cada vez mais nítido com o passar das rodadas.

Publicidade
Publicidade

O título da Florida Cup, nos pênaltis, contra o Corinthians na pré-temporada o único grande momento da temporada. Quando a bola rolou para valer, o time sofreu o primeiro baque ao ser derrotado por 4 a 2 para o Audax, em Barueri, na estreia no Campeonato Paulista. Apesar do susto inicial, o Tricolor conseguiu se classificar para as quartas de final como primeiro colocado do grupo, apesar de alguns tropeços contra times do interior, como empates em casa contra Mirassol e Ituano.

Paralelo a isso, o treinador teve que conviver com um fato que havia atemorizado seus antecessores: o desmanche. À medida que a temporada avançava, o elenco seguia perdendo peças importantes e a reposição nem sempre era à altura. Dentro dos vestiários o clima já não era dos melhores, como no fato do chute na prancheta e do fair play de Rodrigo Caio na primeira partida semifinal do Paulistão diante do Corinthians.

Publicidade

Aliás, o citado duelo contra o rival foi o principio de uma sequência de três eliminações que começou no jogo seguinte, quando foi eliminado pelo Cruzeiro na Copa do Brasil, apesar de ter vencido o jogo por 2 a 1. No final de semana seguinte, o Tricolor deu adeus aos Paulistão e, como se não bastasse, caiu na primeira fase da Copa Sul-Americana para o inexpressivo Defensa y Justiça, da Argentina.

Com apenas uma competição para focar a partir de maio, enquanto seus rivais eram consumidos em vários torneios, a expectativa era de que o time aproveitasse o tempo maior para descanso e treino para brigar pelo título do Campeonato Brasileiro, porém os resultados não vieram, em 11 jogos foram apenas 3 vitórias (todas no Morumbi). O jejum de cinco jogos sem vencer deixou o clube às portas do Z-4. Na sexta-feira que antecedeu o jogo contra o Flamengo, o pedido de demissão do auxiliar inglês já era um indício de que mudanças maiores poderiam ocorrer em caso de novo tropeço no Rio de Janeiro. Dito e feito.

Rogério Ceni deixa o São Paulo após 35 jogos oficiais. Neste período foram 14 vitórias, empates e 10 derrotas. #São Paulo FC #Brasileirão