No centro olímpico do Rio de Janeiro, foi a última #luta nos tatames para Roger #Gracie. O componente da família Gracie lutou o evento GraciePro neste último domingo. Seu adversário foi o atual campeão mundial, Marcus Buchecha. Foram cinco anos pela espera deste reencontro. Com a ida de Roger para os tatames do MMA, a dificuldade aumentou para os dois desempatarem o duelo de uma vitória para cada.

Com o centro olímpico lotado para assistir ao duelo, Roger entrou focado e conseguiu defender as quedas impostas por Buchecha. Com um estrangulamento pelas costas, Gracie finalizou o atleta e também sua carreira nos tatames. Comentando seu jogo ofensivo, Roger disse que ficou feliz pela forma como encerra sua história.

Publicidade
Publicidade

"Eu jogo para frente, quero finalizar o adversário, pois eu não penso em pontuação, gosto de ganhar desta forma. Fecho minha história no #Jiu Jitsu com chave de ouro", disse Roger Gracie.

O lutador não esperava uma finalização lutando contra Buchecha, mas conseguindo uma boa posição, finalizou pelas costas com um estrangulamento. "Era a final que queria", completou. Após a vitória e atualmente lutando MMA, Roger não pretende voltar ao UFC. Honrando seu contrato com o One FC, o lutador tem duas vitórias na franquia, sendo uma utilizando o Jiu Jitsu, com o golpe triângulo.

Roger tem um card interessante no MMA. São 10 lutas no total com oito vitórias e apenas duas derrotas. Em julho de 2013, Gracie entrou no UFC, mas não conseguiu uma vitória sendo demitido logo após a derrota para Tim Kennedy por decisão unânime.

Publicidade

Gracie não mostrou muita disposição e fez uma luta feia, para o potencial que tem.

Outro lado do tatame

O outro lado da história fica com Buchecha. O lutador tentou várias formas para derrubar Gracie, mas Roger conseguiu defender muito bem. Para o atual campeão mundial, erros desta forma não podem acontecer. "Acabei errando de forma fatal e quando se erra desta forma você paga o preço da derrota. Tentei derrubar mas vi que uma vantagem fora da área de luta não valeria de nada para o combate", disse Buchecha.

Comentando a luta para os jornalistas na coletiva, o atleta disse ter esperado demais para tentar outra queda. Buchecha comentou que esperou mais para frente, só que Roger agiu primeiro, conseguindo a vitória.

Diferente de Roger, Buchecha segue nos tatames. Em entrevista meses atrás, Marcus explicou que não pretende ir para o MMA, como muitos atletas da arte suave tem feito. Buchecha espera uma grande proposta para fazer a transição e como ela ainda não chegou, em setembro lutará o ADCC, maior evento de grappling sem kimono, na Finlândia. A lutadora Gabi Garcia também estará compondo o “elenco” da competição.