Publicidade
Publicidade

O Palmeiras tem duelo importantíssimo nesta quarta-feira contra o Flamengo, no Rio de Janeiro. O Verdão, que perdeu para o Corinthians e venceu o Vitória nos seus dois últimos compromissos pelo Campeonato Brasileiro, pode ultrapassar a equipe carioca na tabela e voltar a disputa pelo bicampeonato.

A rivalidade contra o rubro-negro cresceu bastante nos últimos dois anos. Em 2016, parte da imprensa ressaltou a qualidade do time carioca e diversas matérias com torcedores, ressaltando o 'cheirinho' de título, foram veiculadas na TV e também pela internet. O fato irritou a comissão técnica e diretoria do clube, que teve um incentivo a mais para correr pela bola e pelo título.

Publicidade

No Allianz Parque pelo Brasileiro do ano passado, dirigentes do Flamengo provocaram palmeirenses quando o time fez o primeiro gol. Gabriel Jesus empatou, e o o placar na ocasião não foi bom para o #Palmeiras. Paulo Nobre, ex-presidente do clube paulista, discutiu feio com torcedor do Flamengo que estava no camarote ao lado. A troca de farpas invadiu a imprensa também.

Não fica

O zagueiro Fernando Tobio voltou de empréstimo do Boca Juniors e já treinou na Academia de #Futebol. O atleta, no entanto, não interessa e não ficará no plantel de Cuca. Ou melhor, até tem uma possibilidade, mas é muito remota. Cuca autoriza a permanência de Tobio se alguma das opções disponíveis deixar o clube ou se machucar. Atualmente o técnico tem Mina, Edu Dracena, Luan, Juninho e Antônio Carlos disponíveis.

Alexandre Mattos, executivo de futebol do Alviverde, também é contra a permanência do argentino.

Publicidade

Mattos disse que no seu primeiro dia como funcionário do Palmeiras, Tobio bateu em sua sala e forçou a saída.

Mouche também não fica

O atacante Pablo Mouche é outro argentino da Era Gareca que não deve permanecer. Emprestado para o Olimpia-PAR, Mouche deve defender agora o Banfield-ARG. O contrato com os paraguaios será encerrado e ele defenderá o clube argentino até a próxima temporada.

Se vender Mouche ou Tobio, o Palmeiras precisa devolver uma porcentagem ao ex-presidente. Paulo Nobre, na ocasião, repassou recursos para a compra de ambos e precisa receber o dinheiro de volta. Maurício Galiotte, atual presidente e ex-vice de Nobre, participou também do processo e quer adiantar a devolução do empréstimo. Leila Pereira, dona da Crefisa e desafeto de Nobre, também promete fazer todo o esforço para quitar os valores e 'se livrar' do antigo gestor. #Mercado