Publicidade
Publicidade

O Palmeiras viajou até Pernambuco para enfrentar o Sport pelo Campeonato Brasileiro. A imprensa, de um modo geral, colocou o time local como favorito para vencer. Os números também apontavam para isso. Mas o time do técnico Cuca, que está se acertando, fez um excelente primeiro tempo. Na segunda etapa, manteve a pegada e saiu de Recife com 2 a 0 na bagagem e muita esperança em evoluir mais na competição.

Agora, na próxima quarta-feira, o time 'vira a chave' e foca na Copa do Brasil. O confronto contra o Cruzeiro no Mineirão pode dar a vaga para as semifinais da competição ao time paulista. Mesmo não declarado publicamente, a competição nacional também é um dos objetivos para 2017.

Publicidade

Comemoração

O duelo deste domingo na Arena Pernambuco colocou frente a frente o Palmeiras e Diego Souza, meia atacante que interessava ao clube. O diretor Alexandre Mattos e o gerente Cícero Souza viajaram recentemente para a Ilha do Retiro afim de tentar trazer Diego na mala. O Sport fez jogo duro e o jogador também. A negociação foi dada como finalizada por dirigentes rubro-negros e o #Palmeiras foi atrás de outro alvo: Deyverson. O jogador aceitou a proposta e fechou com o Verdão, tornando-se mais uma opção viável para o técnico Cuca ofensivamente.

Com a bola rolando, Diego Souza não conseguiu ter destaque e foi muito bem marcado por Thiago Santos. Vanderlei Luxemburgo, treinador do Sport, também reconheceu que o volante palmeirense teve uma boa exibição e não permitiu que Souza jogasse.

Publicidade

A torcida do Palmeiras, nas redes sociais, não perdoou. Muitos palmeirenses postaram críticas ao jogador e comemoraram o fato de não ter aparecido no jogo.

Em 2009, quando ainda defendia o Palmeiras, Diego Souza deixou o clube pelas portas dos fundos. Ao ser substituído, mostrou o dedo do meio para torcedores que estavam nas cadeiras cativas do antigo estádio Palestra Itália. Desde então, não foi mais 'bem quisto' pelos alviverdes.

O caso de Diego Souza não foi um fato isolado. O atacante Allan Kardec, por exemplo, teve situação bastante parecida. Na época, Kardec pediu mais dinheiro para renovar contrato com o Palmeiras, e o então presidente Paulo Nobre não aceitou. Por R$ 5 mil reais, o atleta resolveu 'pular o muro' e vestir a camisa do São Paulo. Não conseguiu ter grande fase no elenco tricolor e ainda ficou muito 'queimado' com os palmeirenses.

O volante Wesley também seguiu o mesmo exemplo. O #Futebol não perdoa. #Mercado