No sábado (8), o Brasil e o mundo presenciaram mais uma barbárie vivenciada e protagonizada pela torcida vascaína. No jogo entre Vasco da Gama e Flamengo, conhecido como clássico dos milhões, após o fim do jogo onde o #Vasco perdeu pelo placar de 1x0, houve invasão de campo e briga entre torcidas.

O jogo em si começou de forma acirrada, com muitas faltas, cartões, confusões, e muitas poucas chances de gol. O Vasco tentava a todo tempo envolver o Flamengo em seu estilo de jogo, mas para quem acompanhou a partida, percebeu que era um jogo de ataque contra defesa, já que a única vez que a equipe cruzmaltina chegou ao ataque, foi com um chute dado por Luís Fabiano, a principal estrela do time.

Publicidade
Publicidade

Como “punição”, o Vasco acabou perdendo a partida, e nesse momento, ao final do apito do arbitro, as torcidas começaram a confusão.

Como desfecho das brigas, que continuaram fora do estádio, um torcedor vascaíno, David Rocha Lopes, de 26 anos, foi baleado e conseqüentemente morto. O torcedor chegou a ser encaminhado ao hospital, mas já chegou na unidade de atendimento sem vida. O corpo do jovem foi enterrado hoje, segunda-feira (10), às 15h, no cemitério de Santa Cruz, na zona oeste do Rio de janeiro.

Como punição o Vasco da Gama teve seu estádio interditado, pela CBF (Confederação Brasileira de #Futebol ), decisão essa que foi acatada pelo STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva ). A CBF afirma que decretou a interdição do estádio de São Januário, até que saia a decisão do julgamento do STJD, por prezar pela segurança dos torcedores.

Publicidade

Por sua vez o STJD deferiu a decisão da CBF e publicou uma nota onde afirma uma decisão que explica que o estádio só estará liberado após a "vistoria da CBF com laudos obrigatórios para o funcionamento do estádio e segurança dos torcedores e público em geral". Além das punições que podem chegar a R$ 350 mil reais de multa, e até 25 jogos de perda do mandato de campo, o Vasco ainda corre risco de perder seus patrocínios, já que da última vez que aconteceu punição igual, pelo mesmo motivo, só que envolvendo a torcida do Atlético Paranaense, o Vasco quase perdeu seu patrocínio master. O departamento de Marketing já está trabalhando para analisar o prejuízo, na imagem do clube, que essa nova briga causou, já que teve repercussão internacional.

Jogador pode pintar na colina

Nesta segunda-feira, mais um jogador rescindiu contrato com o Atlético Paranaense, dessa vez o meia Carlos Alberto, jogador que é velho conhecido da torcida vascaína. Carlos Alberto se envolveu em polêmica com a torcida do clube paranaense, onde atuou em apenas 10 partidas, e teve seu melhor momento quando marcou o gol contra o Universidad Católica, quando o clube se classificou para as oitavas de final da Libertadores. O técnico Milton Mendes afirmou em outra oportunidade que admira o futebol do jogador, e como o Vasco prepara uma lista de dispensa, o meia pode pintar na colina, através de uma negociação facilitada.