O Palmeiras perdeu para o Barcelona-EQU por 1 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. O resultado, claro, não agradou dirigentes, torcedores e comissão técnica. Mas o discurso era o mesmo após o apito final: tem mais 90 minutos.

O time comandado pelo técnico Cuca tem um grande trunfo pela frente: 30 dias de preparação. O jogo da volta está marcado para somente 9 de agosto no Allianz Parque. Até lá, o time tem nove compromissos pelo Brasileiro e Copa do Brasil. Entre eles, na próxima quarta, contra o Corinthians em casa. Cuca terá tempo para repensar algumas coisas na equipe.

Miguel Borja não foi bem mais uma vez e pode ser cortado do time titular.

Publicidade
Publicidade

O colombiano pouco se movimentou e não finalizou uma única vez. A chance mais clara de gol foi com Willian. A bola foi resvalada pelo goleiro e por pouco não entrou. Na lateral-esquerda, Cuca encontra outro problema. Zé Roberto, que completou 43 anos, não tem condições físicas de voltar e marcar. Egídio não se encaixa em formação defensiva. Juninho, que foi improvisado no Equador, também não evoluiu na posição. Serão 30 dias de testes e conversas na Academia de #Futebol.

Real Madrid sondou Mina

Atual campeão brasileiro, o elenco do #Palmeiras sofre assédio internacional. Alguns jogadores, como é o caso de Yerry Mina, são mais visíveis fora do país. Mina é titular absoluto na seleção colombiana e sempre deixa sua marca. A habilidade de Mina chamou a atenção do Barcelona, que já tem um pré contrato com o jogador.

Publicidade

De acordo com o jornal 'Mundo Deportivo', Juli Calafat, diretor internacional do Real Madrid, entrou em contato direto com o jogador para saber sua situação. Mina respondeu que não cuida desses assuntos e pediu para que o espanhol entrasse em contato com seus representantes ou com o próprio Palmeiras. Ainda na nota, o Madrid ofereceu 22 milhões de euros pelo passe de Mina, 10 milhões a mais do que o Barcelona ofereceu.

Neste ano, o Palmeiras já efetuou a venda de Vitor Hugo para o futebol italiano. O valor da negociação, em torno de R$ 20 milhões, teria que ser devolvido para a Crefisa, que abriu mão. O dinheiro foi destinado para a chegada do zagueiro Luan que foi contratado junto ao Vasco.

Filho de Guerra segue instável

Após acidente em piscina, Assael Guerra segue instável no hospital. Aliás, essa foi a única informação passada pelo Palmeiras, já que a família proibiu o hospital de emitir qualquer tipo de boletim médico. O meio-campista não jogou ontem e retornou para ver a situação do pequeno 'Lobito'. #Mercado