Santos e Flamengo fazem nesta quarta-feira (26), às 21h, na Vila Belmiro, a partida de volta das quartas de final da #Copa do Brasil. No confronto de ida, disputado na Ilha do Urubu, o Rubro-Negro venceu por 2 a 0 e pode até perder por 1 a 0, ou dois gols de diferença, desde que marque pelo menos um no campo alvinegro. Se for considerar o histórico, isso não será tarefa impossível para o técnico Levir Culpi

Há sete jogos sem perder e precisando balançar as redes adversárias, o #Santos terá como novidade a volta de Ricardo Oliveira, afastado dos gramados desde o duelo contra o Corinthians e que entrará no lugar do machucado Kayke.

Publicidade
Publicidade

O time do Santos que irá encarar o #Flamengo deverá começar com Vanderlei no gol; a defesa terá Víctor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; o meio de campo será formado por Yuri, Vecchio, Luca Lima e Bruno Henrique; na frente, Copete e Ricardo Oliveira.

O Flamengo terá praticamente força máxima para buscar a classificação para as semifinais. Por terem chegado fora do prazo para inscrever jogadores, Éverton Ribeiro, Geuvânio e Rhodolfo não poderão atuar. Aliás o zagueiro de qualquer forma seria desfalque, uma vez que está entregue ao Departamento Médico.

A provável formação escalada pelo técnico Zé Ricardo deverá ter Thiago no gol; Pará na lateral direita, Réver e Juan fazendo a dupla de zaga e Trauco na lateral-esquerda; Márcio Araújo, Cuellar e Diego formarão o meio de campo; na frente, Berrío, Everton e Guerrero.

Publicidade

O jogo terá arbitragem de Leandro Pedro Vuaden. Bruno Boschilia e Rafael da Silva Alves serão seus auxiliares. O trio é do Rio Grande do Sul.

Deixa comigo

Reverter um placar de 2 a 0 em casa, tendo que fazer no mínimo dois gols e ainda não sofrer nenhum, é uma tarefa muito complicada em torneio de mata-mata como a Copa do Brasil. Mas há três anos, Levir Culpi e o Flamengo se encontraram na mesma situação, quando o atual treinador santista levou a melhor.

Dirigindo na época o Atlético Mineiro, Levir perdeu o jogo de ida para o Flamengo por 2 a 0 no Rio de Janeiro. Na partida de volta, disputada em um Mineirão enlouquecido, o Rubro-Negro saiu na frente, mas o Galo reagiu e virou o placar para 4 a 1, garantindo a classificação para a decisão contra o Cruzeiro.

O mais impressionante disso tudo é que na fase anterior, o Galo já tinha passado por esta mesma situação contra o Corinthians: derrota em São Paulo por 2 a 0, saiu perdendo em casa e depois virou o placar para 4 a 1. E a cereja no bolo dessa epopeia foi o inédito título conquistado em cima do arquirrival Cruzeiro.