Um grande evento aconteceu em Las Vegas neste último sábado (8), onde foi disputado nos Estados Unidos, o #UFC 213.

O evento tinha como luta principal a defesa de cinturão da brasileira Amanda Nunes contra a desafiante Valentina Shevchenko. Entretanto a "leoa" sofreu com a desidratação durante a perda de peso e precisou ser levada ao hospital para receber cuidados médicos. Por esse motivo, sua luta foi cancelada e, a disputa de cinturão interino da categoria dos peso-médios que seria o "co-main event" foi promovida a evento principal.

O evento

O evento começou a ser disputado às 20h (horário de brasília), e contou com boas lutas, tanto em seu card principal, quanto no preliminar.

Publicidade
Publicidade

Os brasileiros, como de costume, marcaram presença. Thiago "Marreta", único brasileiro escalado no card preliminar, foi o primeiro a entrar no octógono mais famoso do mundo. Ele demonstrou estar atravessando boa fase e, com golpes fortes e muita precisão, derrotou Gerald Meerschaert por nocaute técnico no segundo round.

Ainda no card preliminar tivemos outra boa luta envolvendo um nome conhecido do UFC, o peso pesado Travis Browne. O lutador, que atualmente atravessa má fase, não conseguiu mudar sua sorte e foi finalizado por Alexey Oliynyk com um mata leão.

Já no card principal, outro brasileiro subiu ao octógono. Dessa vez foi Douglas D'Silva que representou a bandeira verde e amarela na arena octogonal. A luta, porém, foi muito dura para o brasileiro. O adversário, Rob Font, mostrou-se muito bem preparado e dominou completamente as ações demonstrando superioridade em relação a Douglas até conseguir a vitória por finalização através de uma justa guilhotina que obrigou o brasileiro a desistir do combate.

Publicidade

A segunda luta do card principal foi entre, o ex campeão da categoria peso-leve, Anthony Pettis e o veterano Jim Miller. A luta foi bastante movimentada com um começo de primeiro round bem equilibrado mas, uma boa sequência de golpes aplicada por Pettis no fim da primeira etapa lhe garantiu a vantagem no primeiro round. No segundo round, Pettis encontrou melhor a distância e aplicou melhores golpes conseguindo abrir uma vantagem de pontos mais tranquila em relação ao adversário. No terceiro round, Pettis continuou dominante contra o valente Miller que resistiu aos duros golpes até o fim do combate, mas viu o rival ser declarado vencedor através da decisão unânime dos árbitros laterais.

Outro brasileiro a subir no octógono foi o ex-campeão da categoria dos peso-pesados Fabrício Werdum, o "vai cavalo". Então, 1º colocado no ranking e candidato à disputa de cinturão, o brasileiro enfrentou o holandês Alistair Overeem na expectativa de que o vencedor sairia do combate credenciado à disputa do cinturão.

Publicidade

O combate começou morno com os dois lutadores mantendo a longa distância e se estudando bastante. A postura do holandês era defensiva, com a guarda baixa, voltada para o contra ataque, enquanto o brasileiro tentava tomar a iniciativa dos ataques, mas sem efetividade. Ao final do primeiro round, poucos golpes foram conectados por ambos os lutadores, sendo que os árbitros laterais ficaram em difícil situação para julgar o vencedor daquela etapa. O segundo round começou com Overeem se movimentando mais e conseguindo conectar bons golpes no brasileiro. Dessa vez foi mais fácil para os árbitros perceberem que o holandês foi melhor. O terceiro round começou equilibrado, mas passou a ser dominado pelo brasileiro que teve um ótimo momento ao aplicar uma dura joelhada que deixou o adversário em apuros. A partir daí o brasileiro teve a chance de nocautear, mas não foi efetivo o suficiente para encerrar o combate e viu o tempo se esgotar. A decisão foi para as mãos dos jurados que declaram o holandês vencedor na decisão majoritária, sendo que um dos três árbitros viu empate, e os outros dois árbitros deram vitória para o holandês.

A disputa de cinturão interino

Finalmente, já na madrugada de domingo, chegou a luta principal do UFC 213. A disputa de cinturão interino dos peso-médios entre o veterano de 40 anos Yoel Romero e Robert #Whittaker.

O combate foi o mais movimentado da noite e começou com o veterano levando vantagem ao conseguir conectar melhores chutes e conseguir derrubar o adversário.

O segundo round também foi bom para Romero que voltou a ser superior na luta e conseguiu abrir vantagem na disputa pelo título interino.

No terceiro round, porém, o veterano começou a dar sinais de cansaço. Foi aí que Whittaker melhorou no combate e passou a conectar bons golpes no adversário, conseguindo vencer o terceiro round.

No quarto round o desequilíbrio foi maior. Aproveitando que o veterano sentiu o cansaço, Robert Whittaker foi para cima e imprimiu um bom ritmo de luta, aplicando bons golpes e levando a melhor, empatando a luta.

O quinto e decisivo round também foi dominado pelo mais jovem que, apesar de também já dar sinais de cansaço, mostrou-se melhor preparado para uma luta de cinco rounds que o adversário e conseguiu anular a tática de Romero que era levar a luta para o solo, defendendo suas tentativas de queda e aplicando bons golpes no rival.

A luta, bastante aplaudida pelo público, teve Robert Whittaker declarado vencedor na decisão dos árbitros laterais. O próximo compromisso do vencedor, ainda sem data marcada, é a unificação do título contra o inglês Michael Bisping. #MMA