Na tarde deste domingo (16), o #Vasco da Gama enfrentou, no estádio Nilton Santos, famoso Engenhão, a equipe do Santos. Jogo que valia para o Vasco da Gama a reentrada no G6, que atualmente é a zona de classificação para a Copa Libertadores da América. A partida, devido à punição que o Vasco sofreu, por causa das brigas que aconteceram na 12ª rodada, em São Januário, contra o flamengo, ocorreu de portões fechados e sem torcedores.

O duelo contra a equipe da baixada santista foi válida pela 14° rodada da atual edição do campeonato brasileiro, e foi realizada com os portões fechados, já que o clube cruzmaltino era o mandante da partida e está com “dupla punição".

Publicidade
Publicidade

O confronto foi bem disputado, começou com boas disputas de bola, e algumas faltas, mas de certo modo tranquilo. O Vasco da Gama demonstrou maior vontade de vencer a partida, e apesar de nenhuma das equipes demonstrarem um alto nível de #Futebol, a equipe carioca demonstrou e aproveitou um certo domínio da partida, principalmente no segundo tempo, quando o atacante Thalles se destacou. O embate teve algumas polêmicas, principalmente no lance em que o jogador Wagner sofreu pênalti "duplo pênalti" que não foi marcado, e outro lanche polêmico que a torcida santista reclama é da expulsão do jogador Daniel Guedes.

Já na sala de imprensa, quem pediu o microfone e deu entrevista em nome do Vasco da Gama foi o presidente Eurico Miranda. O presidente afirmou que o Vasco está sofrendo “dupla punição” já que além de não poder jogar no próprio estádio, ainda tem que jogar sem torcida.

Publicidade

O presidente cruzmaltino alega que a polícia foi conivente com os atos de irresponsabilidade protagonizados em São Januário, onde um policial militar foi flagrado atirando gás lacrimogêneo na torcida, e ainda se vangloriando do fato.

Atualmente, o gigante da colina está proibido de jogar em São Januário, já que o estádio da colina sagrada esta interditado e o clube pode pegar até 25 jogos de punição, o que acarretaria uma situação em que o Vasco não atuaria mais, este ano, em seu estádio. Segundo Eurico Miranda, presidente da equipe, o prejuízo deste jogo, fora de casa e com portões fechados, passa da casa de R$ 1 milhão de reais.

Investimentos, contratações e dispensas

Na última terça-feira, no final da tarde, os torcedores cruzmaltinos tiveram uma surpresa, o jogador Douglas Luiz, de 19 anos, foi negociado com o Manchester City, da Inglaterra. A joia da base cruzmaltina foi vendido por €13 milhões de Euros, equivalente a aproximadamente R$ 50 milhões de reais.

O dinheiro da venda do jogador já foi útil para quitar o salário dos funcionários e jogadores, referente ao mês de maio.

Publicidade

E segundo a diretoria do clube, será investido em contratações, na manutenção e projeção de projetos da base, como o projeto promover e CAPRRES base. Projetos esses que já devem render bons frutos ao Vasco da Gama, como o atacante Paulo Vitor e o meia Paulinho.

As contratações ficam por parte da direção de futebol, que tem como principal alvo o zagueiro Anderson Martins, que está deixando o clube catariano, e está quase certo com o Vasco. Outro jogador que já foi apresentado e treina com o clube, é o atacante Andrés Rios que deve estrear contra o Atlético Mineiro. Quanto as saídas, o Vasco já acertou a saída do atacante Muriqui, e o meia Júlio dos Santos.