A decisão da diretoria e da comissão técnica do São Paulo [VIDEO]de afastarem Cícero do time não foi bem aceita pelo jogador, que decidiu retrucar em tom educado, porém duro, e soltou o verbo.

Em nota divulgada, o jogador desmentiu a informação de que teve qualquer problema com companheiros do elenco, ao contrário, tem vários amigos, tanto que, segundo ele, muitos lhe telefonaram para prestar solidariedade após seu afastamento.

Cícero afirmou que como a fase do São Paulo está ruim dentro e fora de campo, precisavam achar um culpado e ele foi o escolhido. Entretanto, o jogador fez questão de destacar que dos 19 pontos obtidos pelo time até agora, ele esteve presente em 15 dos pontos conquistados ajudando seus companheiros.

Publicidade
Publicidade

O volante afirmou que voltou ao São Paulo após um convite de Rogerio Ceni e que chegou motivado para levar o clube a novas conquistas.

Cícero afirmou ainda que estava triste com seu afastamento, mas que seguirá treinando de maneira séria como sempre fez e aproveitou para agradecer pela chance de ter vestido a camisa de um time tão importante dentro e fora do País.

São Paulo já havia avisado Cícero há 15 dias

Apesar do afastamento do jogador Cícero ter sido anunciado apenas hoje (9), há pelo menos 15 dias, ele seus representantes já tinham sido avisados pela diretoria do São Paulo que o clube não tinha mais interesse em seu futebol e que eles poderiam procurar um novo clube.

O problema é que Cícero já jogou dez partidas pelo São Paulo e, por isso, nenhum clube da Série A poderá contratá-lo para atuar ainda neste ano.

Publicidade

Se nenhuma proposta interessante vier de um time da Série B, o volante seguirá treinando no tricolor, mas separadamente do grupo.

Diretoria do São Paulo parece perdida

Apesar de Cícero não ter feito boas apresentações, diversos comentaristas esportivos criticaram a atitude da diretoria do São Paulo, que mais uma vez dá sinais de estar perdida. A grande dúvida que nenhum diretor do clube respondeu é: se o jogador não estava nos planos, por que não o dispensaram antes dele completar sete partidas, para que pudesse ser negociado com um clube de Série A? Lembrando que, caso ele continue no clube, receberá, por direito, todos os salários até o final do contrato.

São Paulo, o ex-clube modelo

Durante três décadas (1980 a 2010), o São Paulo, além de um super campeão dentro de campo, era um clube modelo para todos os demais do Brasil. Bem organizado nos bastidores, sem dívida, sem dirigentes trapalhões, sem erros grosseiros na contratação ou venda de atletas. Tudo isso se perdeu nos últimos anos, e hoje, o torcedor são-paulino sofre com os seguidos fiascos que ocorrem em campo, mas que são, sobretudo, fruto das péssimas administrações. #Rogério Ceni #São Paulo FC #Brasileirão