Fora do Santos #Futebol Clube desde 2013, quando se transferiu para o futebol catalão para defender o Barcelona, #Neymar ainda rende muita grana ao seu ex-clube.

A transferência do jogador brasileiro para o Paris Saint-Germain, [VIDEO] da França, renderá aos cofres espanhóis mais de R$ 816 milhões só com a multa rescisória. Ao clube que revelou o craque devem vir outros R$ 34 milhões, isso porque a Fifa criou uma estrutura que garante aos clubes formadores dos craques uma parcela a título solidário.

Fora o valor proveniente desse mecanismo da Federação Internacional de Futebol, o Santos ainda deve receber uma multa - mais de R$ 16 milhões - pela não realização do segundo jogo amistoso contra o Barcelona, conforme acordo firmado quando da transferência de Neymar aos catalães, em maio de 2013.

Publicidade
Publicidade

Com a bolada, o alvinegro praiano pretende reaver em campo a velha dupla campeã brasileira de 2002 e 2004, Robinho (33) e Diego (32).

Embora não exista ainda nenhuma negociação em andamento, o time de Modesto Roma Júnior já sonha com essa possibilidade para 2018 e caso não consiga reunir os dois amigos, ao menos Diego poderá voltar à baixada santista. O meia tem contrato com o Flamengo até o fim do primeiro semestre de 2019.

Nos planos da diretoria santista, parte do montante oriundo da venda de Neymar ao PSG poderá ser utilizado para pagamento de multa e direitos federativos de Diego com o clube carioca.

A estratégia do clube em poder contar com o velho conhecido da torcida santista é justamente assegurar que o time terá um meia de qualidade, já que a não renovação de Lucas Lima, ao fim da temporada, não é uma possibilidade remota.

Publicidade

Robinho sim, pero no mucho

O atacante Robson de Souza, o Robinho, deixou o clube que o revelou em 2015 em meio à uma turbulenta negociação com o Clube Atlético-MG. Na ocasião, a torcida do Santos hostilizou o atleta nas redes sociais chamando-o de traidor e mercenário porque ele preteriu a proposta do time paulista para dar preferência à oferta dos mineiros.

Ao contrário de Diego, que foi bem recebido pelos santistas nas duas oportunidades em que o Flamengo encarou o Santos esse ano, Robinho foi vaiado todas as vezes que enfrentou seu ex-clube. Por essa razão, seu nome empolga menos Modesto Roma.

Embora seja sonho do mandatário santista que o atacante encerre sua carreira no clube que o revelou, dirigentes são contrários a sua volta justamente pela forma injusta com a qual ele conduziu sua saída do time, há dois anos. #PaixãoPorFutebol