O Palmeiras foi eliminado pelo Cruzeiro da Copa do Brasil no Mineirão a duas semanas atrás. Vencendo até o final, o time sucumbiu e permitiu o empate do time mineiro. A igualdade no placar concedeu a classificação para o Cruzeiro e a eliminação para o #Palmeiras, que tinha chance real de avançar para as semifinais.

Nos vestiários, o volante Felipe Melo cobrou os companheiros com certa brutalidade e foi condenado por Cuca. O treinador acreditou que Melo passou por cima da hierarquia e não respeitou quem de fato deveria cobrar. Irritado, o técnico disse que o volante não jogaria mais na equipe.

Felipe Melo foi afastado dias depois do elenco e deixou vazar áudio onde confirmou que várias equipes do Brasil estariam interessadas no seu #Futebol.

Publicidade
Publicidade

Dirigentes de São Paulo e Flamengo, clubes citados no arquivo, negaram qualquer tipo de possibilidade de negociar. Ambos consideram o atleta uma 'bomba relógio' e não querem arriscar mais problemas de relacionamento entre os funcionários.

Troca com o Internacional

O Internacional despontou como o primeiro clube interessado em negociar. No primeiro diálogo ofereceu Nico López. O jogador não queria vim para São Paulo, mas aceitou. Quem não aceitou foi o Palmeiras. De acordo com o jornalista do Yahoo e ESPN, Jorge Nicola, o clube paulista pediu que o lateral-esquerdo Uendel seja envolvido no negócio.

A ideia é que Uendel assuma de vez a posição, considerada problemática pelo treinador. Na quarta-feira, em duelo decisivo pela Copa Libertadores da América diante do Barcelona-EQU, Cuca vai utilizar Egídio, atleta que é muito criticado pela torcida.

Publicidade

Em entrevista recente, Egídio disse que 'não sabia o que estava fazendo ali' (onde errou feio e permitiu o gol do time mineiro).

Uendel já defendeu o Corinthians e foi parceiro de Bruno Henrique, que atualmente está no Palmeiras. Zé Roberto e Michel Bastos também já foram testados, mas sem qualquer tipo de sucesso.

A negociação, no entanto, parece um pouco difícil de acontecer. Guto Ferreira, técnico do Colorado, garantiu que o atleta não é negociável e que, para subir para a Série A do Campeonato Brasileiro, a presença dele é de suma importância. Alexandre Mattos, executivo de futebol, deve marcar uma reunião para tentar bater o martelo.

Jogo do ano

Por mais que diretoria e comissão técnica tentem tirar a pressão, o jogo contra o Barcelona vai definir os rumos do time em 2017. Se passar, a preparação será mais forte. Se cair, o planejamento para 2018 será antecipado.