O Palmeiras [VIDEO] não joga mais por taças em 2017. Pelo menos é o que os próprios jogadores do clube confirmam. Eliminado das principais competições do ano, o Verdão tentará agora uma vaga na próxima Copa Libertadores da América.

Para alcançar esse novo objetivo traçado, o time precisa somar pontos no Campeonato Brasileiro. Atualmente na quarta posição, o Verdão perdeu a chance de encostar no Santos ao sofrer empate para o Vasco na semana passada. Agora precisa se recuperar diante da Chapecoense, neste domingo, no Allianz Parque.

Alejandro Guerra concedeu entrevista coletiva nesta semana e disse que estava bem fisicamente para jogar o duelo contra o Barcelona [VIDEO] pela Libertadores.

Publicidade
Publicidade

Cuca colocou ele em jogo apenas na segunda etapa, junto com Moisés. Por isso o treinador deve testar os dois juntos novamente no domingo. A formação ainda é uma incógnita, já que o treinador tem feito algumas mudanças estruturais nos treinamentos.

Não saiu de graça

Já pensando no próximo ano, o #Palmeiras já confirmou seu primeiro reforço: o zagueiro Emerson Santos, que defendia o Botafogo-RJ, vai jogar no Palestra Itália em 2018. A negociação demorou um pouco para acontecer porque o Corinthians também estava no negócio. Sem conseguir competir financeiramente com o rival, o alvinegro acabou sucumbindo e deixou a conversa.

Emerson Santos faz parte da política de Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, de trazer apenas jovens zagueiros. A ideia do clube também é se precaver com uma possível saída de Yerry Mina para o futebol espanhol em janeiro próximo.

Publicidade

O reforço não saiu de graça. Prática comum no futebol, o Palmeiras vai desembolsar R$ 5,6 milhões em luvas e participações de empresários. O valor será quitado em parcelas. O time carioca não receberá nada no negócio, o que ocasionou ruptura na boa relação que tinha com o clube paulista. Agora não existe mais diálogo positivo.

Forte cobrança

A eliminação na Copa Libertadores da América ainda não foi muito bem digerida por conselheiros, sócios e diretores do clube. Maurício Galiotte, que comanda o Palmeiras na posição de presidente, recebe mensagens e ligações diárias pedindo a 'cabeça' do executivo de futebol.

Galiotte confirmou que Mattos fica. O atual presidente não deseja demití-lo por alguns fatores. Um deles é maximizar a participação do ex-presidente Mustafá Contursi na gestão. Contursi é totalmente contra a política de contratações de Mattos. #Mercado da bola