O #Vasco conheceu, nesta quinta-feira (3), sua segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro, jogando em Volta Redonda ao ser batido e dominado pelo Cruzeiro [VIDEO], pelo placar de 3 a 0. Ao final da partida, a torcida protestou bastante, inclusive xingando o técnico Milton Mendes de burro e pedindo a volta do meia Nenê.

Após o jogo, o treinador falou sobre a situação do jogador, explicando que sua situação tem que ser resolvida com a diretoria. Na véspera da partida contra o São Paulo, no estádio do Morumbi, o jogador pediu para não viajar, pois tinha a intenção de negociar com um clube do exterior. O tempo passou, nenhuma proposta oficial foi enviada e ele segue fora do elenco.

Publicidade
Publicidade

“Não fui eu que tirei o Nenê. Ele pediu para sair do clube. As pessoas têm que entender que ele disse que não queria viajar”, se defendeu o treinador.

Ainda de acordo com o treinador, a torcida que está xingando e vaiando não sabe da metade das coisas que acontecem no clube. “Ele foi à direção e pediu para não viajar e não ser escalado. Ele nem veio a mim”, continuou.

Com relação ao jogo contra o #Cruzeiro, Milton Mendes disse que as vaias atrapalharam o desempenho da equipe. “No meu ponto de vista, torcedor tem direito de fazer tudo, mas poderia ser no fim. Durante o jogo, é momento de dar tranquilidade”.

Os protestos começaram ainda no primeiro tempo, após o time sofrer um gol aos dois minutos e outro aos 18. Mesmo sendo alvo dos protestos dos torcedores, ele pediu desculpas para a torcida pela derrota que não estava nos planos e disse que tudo ainda está em aberto.

Publicidade

A derrota desta quinta-feira derrubou o Vasco para a nona colocação do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos em 18 jogos. A equipe buscará sua recuperação no próximo domingo (6), jogando em Campinas, contra a Ponte Preta, às 19 horas, no estádio Moisés Lucarelli. A Macaca também vem de resultado negativo, após perder por 3 a 1 para o Vitória, em Salvador.

Pensamento positivo

O goleiro Martín Silva foi outro que comentou o tropeço do Vasco em Volta Redonda. Para ele, o momento não é de desespero, apesar do resultado negativo. “Atuação ruim, sabemos que falta muito, não podemos ser muito negativos”, disse o jogador que lembrou o início de campeonato, quando ninguém acreditava no time, que no momento se encontra mais perto da zona de classificação para a Copa Libertadores do que da zona de rebaixamento. “Não vamos ser os melhores, mas não vamos ser os piores”, cravou o capitão vascaíno. #Brasileirão