#Cristiano Ronaldo está passando por problemas sérios com a Justiça espanhola. O craque do Real Madrid está sendo acusado de ter ficado com dinheiro que devia para o Fisco, em vez de pagar seus #Impostos por seus rendimentos. Seria um total de 14.7 milhões em que Cristiano Ronaldo [VIDEO]teria fraudado o governo espanhol, e agora o jogador de #Futebol vive um momento complicado, com uma juíza criando grandes problemas. Ao jogador, lhe impuseram agora que ele nomeasse seus assessores durante esse período da suposta evasão fiscal, que ocorreu desde 2011 até 2014.

O português vai ter que detalhar quem o aconselhou nas operações em questão, sendo que Cristiano Ronaldo já falou que ele "apenas tem a 6ª classe" e que não entende muito sobre a gestão de seus rendimentos.

Publicidade
Publicidade

Porém, é por isso mesmo que a juíza Mónica Gómez-Ferrer exige saber quem tratou de tudo isso para o craque. E até o nome de seu agente esportivo pode ser envolvido nesse caso. Jorge Mendes já foi chamado ao tribunal, mas Cristiano Ronaldo vai negando também qualquer envolvimento de Mendes no suposto esquema de fraude. O jogador tem agora cinco dias para revelar tudo ou então as consequências poderiam ser ainda mais graves.

É mesmo sob a forma de ultimato que a juíza está tratando esse caso, cortando no tempo de defesa do jogador e acelerando a resolução de todo o processo. Supostamente, Cristiano Ronaldo teria fraudado a Agência Tributária espanhola nos exercícios de 2011, 2012, 2013 e 2014. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, "desde o início de 2009, meses antes da sua chegada ao Real Madrid, Cristiano Ronaldo protegeu seus direitos de imagem em várias empresas das Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal no Caribe.

Publicidade

Essas empresas operavam de forma opaca em um esquema próprio de sociedades instrumentais sem atividade real, sem empregados e que operam por meio de líderes profissionais".

Aparentemente, seria sobre esses direitos de imagem que o jogador [VIDEO]teria evitado pagar impostos na Espanha. Portanto, em causa estão os rendimentos que o jogador ganhou com suas publicidades e sua imagem, e não o dinheiro que ele ganhou de ordenado ou de prêmios de jogo. Sobre esse dinheiro, seria impossível 'fugir', uma vez que é tudo declarado pelo Real Madrid.

O caso de fraude parece ter terminado em 2014, e em 2015 ele vendeu esses direitos de imagem até 2020, por 75 milhões de euros, para outras duas empresas do Caribe, novamente, os chamados paraísos fiscais, onde alguns famosos tentam evitar o pagamento excessivo de impostos. Essa operação foi realizada através da Mint Capital, uma empresa ligada ao empresário Peter Lim, dono do time de futebol Valência, e o dinheiro terminou em uma conta suíça do jogador.