A semana tem sido marcada por boas notícias para os argentinos e os motivos são listados por dois acontecimentos que fizeram parar o coração de qualquer “hermano” apaixonado pelo rolar da bola no gramado.

O primeiro foi a classificação sofrida da seleção argentina na última rodada das Eliminatórias da #Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Apesar de começar perdendo a partida para o Equador, em Quito, Messi e companhia viraram o jogo, carimbando o passaporte para disputar a próxima Copa. A partida começou em ritmo de tango triste e desesperado, mas terminou em batucada, cessando a angústia de não ver a seleção azul e branca jogando mais um Mundial.

Publicidade
Publicidade

A segunda notícia foi mais de âmbito nos gabinetes e reuniões a portas fechadas; é que o trio de países platinos – composto por Argentina, Paraguai e Uruguai – oficializou sua candidatura como sede da Copa do Mundo de 2030.

Um dos motivos pela escolha da data está baseado na comemoração dos 100 anos da primeira Copa do Mundo – realizada no Uruguai. Para os uruguaios, isso teria um gosto de celebração e de reviver a emoção de participar de um evento grandioso como a Copa do Mundo. Afinal, de todos os campeões, só o Uruguai, a Espanha, a Argentina e a Inglaterra não conseguiram fazer uma nova edição até o momento atual.

Ensaios

A primeira ideia foi a de que o Uruguai absorveria sozinho todas as responsabilidades por organizar e montar tudo para 2030. A hipótese, logo em seguida, foi descartada, visto que não haveria condições do pequeno país organizar uma disputa mundial de tamanha envergadura.

Publicidade

No final de agosto passado, o presidente do Paraguai, Horacio Cartes, havia acenado com a candidatura tríplice, mas o seu anúncio foi pouco divulgado e considerado.

Porém, após um encontro dos três presidentes com os representantes da Conmebol [VIDEO]e da #FIFA em Buenos Aires, a coisa tomou uma proporção mais séria.

De acordo com o presidente argentino Maurício Macri, a ideia veio do Uruguai e demorou cerca de 40 segundos para se obter o primeiro “sim”. Logo após, quando houve a proposta de inclusão do Paraguai, seguiram-se mais outros 40 segundos antes de proferir o segundo “sim”.

Horacio Cartes sabe da concorrência com outras regiões do globo, mas coloca fé na comemoração do centenário da primeira Copa do Mundo, achando que isso será um bom diferencial.

Traçando as linhas no papel

O primeiro esboço da Copa em terras platinas têm os seguintes contornos: a Argentina ficaria com a abertura e a final do torneio; além disso, cederia aproximadamente de seis a oito estádios. Paraguai e Uruguai ofereceriam dois estádios cada um.

Publicidade

O anúncio foi uma surpresa, pois até agora, esta é a primeira e única candidatura para o ano de 2030. O que passou despercebido é o fato de que a Fifa não decidiu quem sediará a Copa de 2026. Por enquanto, o embate envolve o Marrocos e uma candidatura – também tríplice – formada por Estados Unidos, México e Canadá. Muitos acham que os marroquinos vão perder feio essa batalha.

Nessa inspiração formada em trio, os “hermanos do Prata” buscaram a data certa e a oportunidade propícia. É torcer para que nós, brasileiros, assistamos ao vivo e em cores, as partidas a realizar do outro lado da fronteira. #Futebol