Na vida deparamos com dois caminhos: O caminho da vitória e o caminho da derrota. Desejamos a vitória mas não lutamos para conquistá-la. É importante saber o que queremos, ter um objetivo, para enfrentar a luta. 

Com um objetivo claro, traçamos o nosso projeto de vida. Aí sim, poderemos entrar na batalha. 

A batalha travada nos levará a vencer desafios. Grandes ou pequenos, aparecerão no caminho. Para vencê-los necessitaremos das armas. 

A perseverança, a humildade, a sabedoria, que são virtudes adquiridas ao longo do caminho, são algumas dessas armas. 

Querer é poder! 

Se desejamos, podemos conquistar o que desejamos. As portas poderão ser abertas para nós. 

Dúvidas surgirão. Nesta hora não poderemos perder de vista o nosso objetivo. Por isso ele é importante para cada um de nós, para que não desviemos do caminho neste momento. 

O cenário da atualidade é a perda do caminho, principalmente na juventude. 

Assim temos visto muitos jovens que já desistiram de viver. 

É importante salientar que na juventude, onde o físico e a mente estão em boa forma, buscas contínuas deveriam surgir espontaneamente. 

E não é para a desistência que vivemos e sim para a perseverança. 

Não somos chamados a viver como derrotados, mas como vitoriosos. E a vitória depende de cada um de nós. 

Não somos chamados a viver a decepção. A decepção não combina com quem almeja coisas grandiosas. 

É a objetividade de vida que nos arranca da desistência, da derrota, da decepção e nos leva a buscar a realização de nossos projetos.