Dois termos muito usados atualmente quando falamos sobre #Moda e com maior frequência na decoração (acho que em tudo, eu por exemplo sou Vintage, a DEUSA Amy Winehouse é Retrô) e que são dois estilos voltados ao passado, mas não são sinônimos e muita gente (será?) confunde. Ambos os casos nos levam ao passado, no entanto são bem diferentes: Vintage são aqueles objetos antigos e originais, e já o Retrô são aqueles objetos frutos de novas criações com forte apelo e inspiração em antiguidades.

Aproximações:

Vintage é algo antigo, um produto original de uma determinada época que pode ser comprado em brechós, casas de parentes/amigos e antiquários, loja de móveis usados, em "família muda vende tudo", vendas de garagem, no facebook, ufa... sem releitura, repaginado ou revisitado - mercadolivre, olx... Porém, o termo Vintage é usado frequentemente por estilistas que buscam releitura de décadas passadas, como por exemplo, o resgate do estilo pin-up (muito em voga hoje em dia). Roupas com aparências desgastadas com aparência de usadas e antigas também recebem a denominação Vintage. Amo Eames James Andy Janis.

Já o estilo Retrô é na moda um estilo completamente novo com forte inspiração no antigo e com estilo bem marcante, aí sim cabem os termos releitura, repaginada ou revisitada ou "colagem" (Vintage Robert Rauschenberg).

Diferenças:

Vintage é um termo inglês que na melhor tradução significa boa safra e tem a ver com vinhos e como a maioria sabe: quanto mais antigo o vinho melhor é. De modo geral é uma peça que mesmo antiga continua em bom estado de conservação: um vestido, um sapato, um móvel, um relógio ou até um carro. Não estamos aqui falando em réplicas e sim em peças originais e por serem antigas, são raras e artigos de colecionadores, ou seja, têm muito valor, seja simbólico, sentimental ou comercial. Para algo ser caracterizado como Vintage tem que ter pelo menos mais de duas décadas.

O termo Retrô vem do latim e significa para trás. É quando se faz o relançamento de uma moda com cara de outras décadas, tipo anos 60, 50, 40 e hoje o tão falado anos 20 com seus adornos, brilhos e franjas, bem ao estilo "melindrosa". Na verdade são réplicas, colagens do passado com releitura moderninha e adaptadas para os nossos tempos hipermodernos de Lipovetsky.

Cada vez mais pessoas aprendem a apreciar os estilos. Particularmente e também como Historiadora, acho bastante interessante principalmente o Vintage que geralmente é peça única e tem muita História para contar. Uma boa dica é partir para busca em antiquários, brechós, sebos, casas de parentes, propriedades rurais e em loja de móveis usados (pode deixar surpreso até quem conhece design), na internet. Agora quando penso em moda o estilo retrô me atrai com seu modernismo, charme, ares de romance e também porque demonstra que quem usa é acima de tudo seguro de si e não tem medo de ousar (mas na medida certa ou fica estilo meio 'trash' o que para mim também tudo lindo e maravilhoso).

O que você, leitor, acha de fazer uma viagem no universo Vintage com nomes de designers que marcaram as décadas do século passado? Aí vão algumas dicas para sua pesquisa no santo google dos nossos dias, acredite você verá como o Século XX, seus modos, cultura, costumes podem ser lidos pelo estilo de arte ou criação de cada um em seu tempo. Boa viagem e não tenha preguiça!

Década de 20: Eileen Gray, Raymond Templier, Le Corbusier, Syrie Maugham, Sybil Colefax, John Fowler.

Década de 30 e 40: Alvar Aalto, George Nelson, Clarice Cliff, Keith Murray.

Década de 50: Charles e Ray Eames, Dia Robin, Lucienne Day, Arne Jacobse.

Década de 60: Verner Panton, Terence Conran, Joe Colombo, Giancarlo Piretti, Piero Fornascetti, Peter Murdoch, Peter Ghyczy, Eero Aarnio.

Década de 70: Ettore Sottsass, Rodney Kinsman, Vico Magistretti, Paolo Deganello, David Mellor, Mario Bellini, Fred Scott.

Década de 80: Tom Saxon, Tom Dixon, Jasper Morrison, Shiro Kuramata, Phillipe Starck.

E paramos por aqui ou deixa de ser Vintage!

Em resumo, podemos dizer que o Vintage é algo antigo e em bom estado de conservação com cara de novo e que o Retrô é algo novo com cara de antigo. Em tempo: queria muito uma Rádio Vitrola em perfeito estado de conservação... para ficar Na madrugada a vitrola rolando um blues trocando de biquíni sem parar...