Interessante procurar entender o que se passa pela cabeça de um colecionador. Será que é só um hobby ou investimento? A profissão ou atividade de colecionador existe há muito tempo e vem se modificando à medida que o mundo se desenvolve. Atualmente as pessoas estão tão engajadas em correr atrás de suas conquistas, seja buscando crescimento profissional, obter riqueza, formar família, criar os filhos ou adquirir conhecimentos que pouco tempo possuem para desenvolver um hobby.

No entanto, se formos procurar no mercado, incrivelmente nos deparamos com muitas pessoas na sociedade moderna que ainda possuem o prazer de colecionar. Existe de tudo, das coleções mais triviais às mais bizarras. Tem gente que coleciona selo, moeda, cédulas, pedras, cartões telefônicos, gibi, rolha, bebida, instrumentos musicais, carros antigos, perfumes, bonecas ou bonecos, e até aí tudo bem. Mas outros colecionam ossos, meias usadas, cadarços, guardanapos usados e, alguns, pasmem, colecionam fiapos de umbigo, chiclete mascado de nicotina ou sobras de lápis apontados. Provavelmente deve ter um universo de coleções bizarras.

O que será que motiva tantos colecionadores? É notório perceber que o ser humano tem grande tendência por guardar coisas. E como é difícil praticar o desapego por essas coisas. Assim, muito naturalmente, mesmo sem perceber, acabamos por nos tornar colecionadores. Colecionadores de sonhos.

Muitos também colecionam amores ou amantes. E preservam os seus álbuns guardados às sete chaves. Conversando com um colecionador e fazendo uma analogia com o texto do Dr.Jorge Bucai, psicanalista, sobre a necessidade das pessoas terem um amante, ou seja, algo que nos apaixona, que nos mantém distraídos em relação ao que acontece a nossa volta, pode-se considerar que ter uma coleção é ter um passatempo. É ter uma paixão. É ter um amante.

Saiba mais

Para quem deseja começar a colecionar ou precisa de ajuda para organizar sua coleção ou entender mais a respeito, a internet dá muitas dicas. Existem diversos colecionadores profissionais. Alguns o são por hobby, outros investiram e já ganharam muito dinheiro. Mas, às vezes, o dinheiro é apenas consequência de uma arte bem feita.

Muitas pessoas comercializam em sites como Mercado Livre, OLX, Bom Negócio, Facebook. Procure também, em sua cidade, as lojas de colecionadores ou grupos que se reúnem, de acordo com uma periodicidade, para trocarem informações, participarem de leilões, se divertirem e que acabam fazendo amizades. No caso de selos, os correios ainda mantêm, felizmente, um espaço para filatelia. Enfim, existe um mundo para explorar. Quem sabe as novas gerações perpetuem esta prática, dividindo um pouco de tempo com o seu mundo virtual? #Entretenimento #Seleção