Após horas de caminhada, sob o sol intenso, o explorador experimenta uma sensação de alívio. Enfim, a sombra amiga do arvoredo. Mas não é apenas a proteção contra o sol que o reconforta. Numa floresta, o ar é constantemente mais úmido. A água absorvida do solo pelas raízes chega enfim a dispersar-se pelo interior das florestas, ficando mais suave e aconchegante.

Pelas raízes, a planta recolhe do solo a água e os sais minerais. Essa substâncias conduzidas através dos vasos lenhosos transformam-se em alimentos essenciais: açucares e proteínas. Mas as plantas não utilizam toda a água que absorvem, pois grande quantidade de líquido é eliminada pela transpiração.

Publicidade
Publicidade

E, para transpirar, as plantas também têm poros, como os animais. São os estômatos, em geral localizados em maior número na face inferior da folha. Esses poros possuem uma dupla função: eliminam o excesso de água e permitem a entrada de gás carbônico (CO2) necessário para o processo de fotossíntese.

Medidas de proteção coletiva devem ser tomadas à situação do momento. As plantas, flores e florestas precisam tanto das pessoas como as pessoas precisam delas. Quanto mais seco e quente for o ambiente, mais a planta transpira. Se venta, a transpiração é maior ainda, porque o ar umedecido se coloca e o ambiente onde ela está fica seco. Mas se a planta transpira demais, pode ficar seca e murcha. Para evitar isso existem certas medidas de proteção. Só o fato dos estômatos serem localizados na parte inferior da planta, ao abrigo dos raios solares, já é uma proteção.

Publicidade

Em determinadas plantas, os estômatos são localizados em cavidades especiais, como no caso da chamada espirradeira (Nerium oleander). Ou então a folha enrola-se e só abre no tempo úmido, como uma grama de jardim. Sendo assim podemos colaborar com várias maneiras, e ao mesmo tempo sem gastar muita água. Existem borrifadores que podem umedecer facilmente o ambiente onde estão, facilitando assim a sua umidade natural, e diversas outras maneiras.

Mas a proteção não pode ser tanta que chegue a anular a transpiração. Sempre há uma evasão de vapor através da cutícula. Por isto, além da transpiração estomática há também a cuticular. A cutícula é uma película que cobre a parte exterior da folha formada por substâncias pouco permeáveis à água, o que impede ou diminui a transpiração. Enquanto a transpiração estomática pode ser intensa ou praticamente nula, dependendo da abertura dos estômatos, a cuticular mantém-se sempre constante, independente das condições do meio ambiente. Assim podemos ter mais do que nunca a certeza que as plantas têm vida, mas muita vida mesmo, sendo que devemos cuidar mais e ter muito carinho dando mais atenção.

Publicidade

A falta de água não é motivo para deixarmos as plantas morrerem.

Existem plantas como a (xerófitas), adaptadas à sobrevivência durante as secas. Além dos meios de regulação dos estômatos, possuem cutículas reforçadas, ricas em cera. A perda das folhas, durante o período de seca, é outra medida de controle da transpiração excessiva. Em compensação, essas plantas ficam desaparelhadas para a fotossíntese; crescem e se desenvolvem muito devagar. O mesmo fenômeno, de perda de folhas, ocorre em climas frios. Com o congelamento da terra, as raízes ficam impedidas de absorver uma quantidade normal de água, como a babosa (Aloe vera), ricas em líquidos, armazenam água na época boa. #Natureza