É certo vender programas prontos de atividades físicas? E esse negócio de personal trainer, que atende à distância, via webcam? É claro que não são os modelos ideais de atendimento, pois considero a atuação do profissional de educação física, com presença real, muitíssimo importante.

Para quem não tem disponibilidade de se deslocar até um local adequado à prática de exercícios físicos, com certeza, é melhor obter algum tipo de orientação em casa por intermédio de um vídeo, por exemplo, do que tentar executar os exercícios por conta própria, sem a noção exata, ou pelo menos, estimada da relação intensidade/volume/frequência da atividade física, bem como da biomecânica e postura correta ajustadas a cada exercício, que somente a pessoa com conhecimento específico das disciplinas fundamentais à uma boa prescrição de exercícios pode orientar; ou seja, o profissional de educação física, preferencialmente, com presença física, para que o "feedback" seja imediato.

Todos nós precisamos fazer algum tipo de atividade física, pois seja por um objetivo secundário ou primordial, podemos obter dos exercícios físicos diversos benefícios, motores, cognitivos ou funcionais.

Publicidade
Publicidade

Todas as pessoas deveriam executar atividade física sistemática, porém nem todos têm condição financeira de contratar um treinador pessoal para um acompanhamento exclusivo, pois isso resulta em uma oneração além do que o cidadão comum possa dispor.

Outra alternativa para minimizar o custo-benefício ao máximo, seria a formação de grupos homogêneos, em que se coincidam ou se aproximem aspectos como disponibilidade de horário para a prática, nível de condicionamento físico, idade e condição de saúde. Para a mesma sessão de treinamento, um pequeno grupo partilharia custos, o que tornaria o serviço bem mais acessível. É importante frisar que os grupos não devem conter muitas pessoas, pois o atendimento pode ter sua qualidade diminuída, à medida em que o número de pessoas aumente numa mesma sessão.

Publicidade

Penso que só em último caso o atendimento à distância ou por materiais pré-elaborados seriam justificáveis, uma vez que não devemos pensar em desistir de praticar atividades físicas, devido às dificuldades de acesso a elas, e sim, buscar sempre as alternativas viáveis.

É fundamental observar a qualidade dos materiais em questão, além de tomar-se os devidos cuidados, como observar a gradatividade que o organismo exige para ajustar-se aos estímulos provocados pelos exercícios que compõem o treinamento.