A mídia têm mostrado a história de Loemy Marques, uma moça que saiu do interior do Mato Grosso e foi para São Paulo para seguir a carreira de modelo, mas que foi "apanhada" pelo crack.

Quem vê as imagens da bela menina em algumas fotos de seu breve trabalho como modelo e vê as imagens de agora, surpreende-se com o que a droga fez com ela em apenas 2 anos - apenas 2 anos para nós, porque para quem vive nesse mundo das drogas, esses anos fazem um estrago que parece que se passaram 10 anos ou mais. Há algum tempo atrás houve um caso parecido, com um rapaz que morava nas ruas de Curitiba - também um ex-modelo, que havia se entregado às drogas.

Mas por que tanta manchete em cima desses casos enquanto há milhares e milhares de pessoas na mesma situação? Pessoas de todas as idades e de todos os lugares. O crack é dos grandes e piores problemas que a sociedade enfrenta. São filhos, irmãos, irmãs, pais - muitas pessoas têm um caso de um ente querido que está nessa batalha contra a droga, e são muitos os casos de quem perdeu essa batalha.

Não há problema em dar destaque a uma ex-modelo que esteja em uma situação difícil, morando nas ruas e sem perspectivas - o problema está em não dar atenção a outros, que também precisam de ajuda, que também precisam de pessoas que lhes estendam a mão e lhes ajude a tentar sair desse poço escuro e sem fim.
Não significa que pessoas como a Loemy não mereçam ajuda, pelo contrário, ela vem de família humilde e sua mãe disse que não tem condições de ajudá-la, pagar tratamento etc. E também não quer que ela volte para casa, pois tem medo do que possa acontecer caso a filha volte, uma vez que já ouviu algumas ameaças à filha.

E assim como ela, milhares de outras mães sofrem com seus filhos e filhas que não conseguem resistir à tentação e acabam provando a droga, viciando-se e largando tudo, vivendo somente para o crack, roubando ou prostituindo-se para conseguir comprar as suas pedras diárias.

Publicidade
Publicidade

Tristeza. Só assim pode-se definir o sentimento que dá ao vermos situações como essa. Que pessoas boas cruzem a vida deles e os ajudem da forma que puderem - e que o governo crie meios de lutar de forma mais agressiva contra as drogas.