As redes sociais são um campo fértil para que se dissemine informações erradas, mentiras e incitação ao ódio. Principalmente quando o assunto tratado é política.

Nunca se disseminou tanto ódio a um partido, um candidato e mesmo à uma pessoa como na última eleição. Não que o PT seja um modelo de partido político ou que o atual governo seja o modelo de governo que queremos. Mas quando trata-se de xingar e ofender o candidato a nível pessoal, a coisa muda de figura, e preocupa. E muitas pessoas se valem disso para se referir à atual chefe de estado. Palavras vulgares, xingamentos e ofensas pesadas. Mas por que isso acontece?

O senso comum comanda a massa

Cria-se uma opinião ou uma ideia sobre algo e aquilo vai se disseminando, ganhando seguidores e quando percebemos, a coisa tomou uma forma - a forma de uma enorme bola de neve.

Publicidade
Publicidade

Dificilmente alguém vai atrás dos fatos para verificar a sua veracidade e para checar se está fazendo algo sensato ou se está seguindo um "modismo" e ainda por cima achando que está sendo popular, intelectual ou conhecedor do assunto. Um exemplo bem comum é quando vemos postagens sobre o "auxílio-reclusão" ou sobre algum programa social. Não são estatísticas, mas sobre o que se vê, a cada 10 contra, apenas 1 ou 2 são esclarecidos sobre o assunto - basta que se leia os comentários para concluir isso.

Saber quem é responsável pelo quê ajuda muito

Tem-se visto, principalmente decorrente do ódio que se direciona ao atual governo, que tudo que está errado no país é culpa do governo. Aqui, vários pontos devem ser esclarecidos (já deviam ser sabidos, na verdade). Quem reclama que a saúde está péssima e é culpa do governo, deveria saber que a saúde local é de responsabilidade do seu município, e que recursos são enviados - que tal procurar saber o que a administração do seu município anda fazendo? Outro ponto: A Dilma criou uma lei que… - um momento! Você sabe que o governo é a ponta e que não governa sozinho? Nunca ouviu falar que o governo é composto por alianças políticas, que há uma Câmara de Vereadores e um Senado Federal, que seus representantes estão lá também, ajudando a criar leis, por exemplo? #Educação

Bem, esse são poucos exemplos de que muitas vezes falamos ou repetimos coisas sobre as quais nem sabemos, então que tal pensarmos em ser um pouco mais politizados? Ser politizado não significa estar de acordo com tudo, significa conhecer mais, saber pelo que se luta e estar mais preparado para futuros embates políticos, e principalmente, deixar a revolta e o ódio de lado - ou revoltar-se pelo que realmente vale a pena lutar.