O centro de origem da planta de café é a Etiópia, no entanto, foi a Arábia a responsável pela difusão da cultura. O nome café tem origem na palavra árabe qahwa que significa vinho. Era conhecido, quando chegou a Europa no século XIV, como "vinho da Arábia".

O café só se transformou na bebida que apreciamos atualmente, a partir do século XVI na Pérsia, quando pela primeira vez os grãos foram torrados. No início era apenas conhecido por suas propriedades estimulantes e a fruta era consumida fresca.

As primeiras cafeterias foram abertas em Meca e posteriormente a bebida se espalhou por toda a Europa. E foi em Viena que surgiu o hábito de coar a bebida e bebê-la adoçada com leite, conhecida como o café vienense.

Publicidade
Publicidade

Os "Cafés" se transformaram em locais de encontro de pessoas que se reúnem para discutir negócios, confraternizações ou simplesmente para passar o tempo e saborear uma boa bebida.

No Brasil o cultivo de café cresceu rapidamente devido as condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento da cultura, com produção focada para o mercado doméstico. Durante quase um século o café trouxe grande riquezas ao país, acelerando o desenvolvimento de várias regiões como São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Para aqueles que não dispensam saborear uma deliciosa xícara de café, saibam que diversas pesquisas apontaram os benefícios que a bebida traz à saúde humana, sendo que consumo diário de forma moderada contribui na prevenção de diversas doenças.

O café possui propriedades antioxidantes, é uma das fontes dietéticas mais ricas de ácidos clorogênicos, que têm ação antiflamatória, ou seja, reduzem o risco de doenças cardiovasculares.

Publicidade

Os tomadores de café apresentam menores riscos de mortalidade por causas cardíacas, respiratórias, acidente vascular cerebral e doenças infecciosas.

Para as pessoas que sofrem com as terríveis dores de cabeça, várias pesquisas apontam a eficiência da cafeína no alívio das mesmas, por causa de seu efeito analgésico e propriedades vasoconstritoras a nível central.

A cafeína também está associada à prevenção de doenças neurodegenerativas como o Parkinson e Alzheimer. Estudos realizados na Universidade da Florida do Sul, nos Estados Unidos, indicam que esse componente do café seja responsável pela redução na produção de uma proteína do cérebro, denominada beta-amiloide, que acredita-se ser responsável pelo Alzheimer.