Eu estava agora com 14 anos, minha infância foi marcada pela presença do "amiguinho" sobrenatural; ele praticamente me educou, estava comigo em todos os lugares. Algumas vezes eu pensava alguma coisa de ruim, mas ele logo me chamava a atenção, me fazendo pensar e repensar naquele meu pensamento negativo. E foi assim que fui me transformando de criança a adolescente, no caminho que le levou ao espiritismo.

Sempre havia sido uma criança alegre, apesar de trabalhar desde muito cedo ajudando minha mãe, vendia salgados, sorvetes etc., mas tive uma infância feliz, sempre fui alegre e brincalhona, achava comum a presença do meu amigo sempre comigo, mas a entrada para a adolescência estava me deixando retraída.

Publicidade
Publicidade

Às vezes falava com ele e olhava dos lados, via pessoas me olhando com curiosidade, foi aí que fui percebendo que na infância isso é normal, ninguém repara se você fala sozinho, mas eu já não era mais criança.

Tornava-me uma adolescente fechada, pouco sorria, tímida; na verdade eu gostava era de ficar em casa escrevendo poesias, não tinha muitos amigos, e fugia um pouco das pessoas, me achava desengonçada e tinha o rosto coberto de espinhas. E me sentia infeliz, deprimida.

Até que certa noite, senti um sono enorme fui para a cama, e sonhei... Um sonho que não era um sonho. Eu me via com a roupa que eu havia ido dormir e o "amiguinho" ao meu lado, flutuava sobre as ruas próximas de casa, eu podia sentir o vento no meu rosto, as ruas escuras, era madrugada, via algumas pessoas passarem apressadas com medo pela hora.

Publicidade

E nesse "sonho" ele me ensinou muitas coisas sobre a vida; quando fomos nos despedir, eu não queria ir embora, pois a sensação que sentia ao flutuar era a melhor que já havia sentido na vida.

Lembro-me da explicação que ele me deu dizendo que eu não podia, pois estava ligada à terra por um cordão de prata, olhava e via realmente um cordão de prata que me ligava a terra; mesmo assim, quando nos despedimos e vi-o se afastando, subindo eu tentei acompanha-lo, mas o cordão me puxava, quando ele disse, você não pode ir comigo, está ligada a terra, nesse momento você está como se estivesse em um coma, não está na terra, mas está ligada ao seu corpo.

Despedimo-nos, e voltei. Ao acordar eu me lembrava de detalhes daquele "sonho", e as palavras ensinadas por ele. Fui crescendo e virando mulher com ele sempre ao meu lado. Ainda viria a ter outras historias com meu amigo para contar. #Igreja #Curiosidades #Religião