A técnica da Eyeball Tattoo (#Tatuagem do globo ocular), que consiste em colorir a parte branca dos olhos com uma seringa e tinta, tem apenas 8 anos de existência. Muitos concordam que os pioneiros nessa nova categoria de modificação corporal extrema foram Shannon Larratt e Luna Cobra, de Toronto.

A ex-esposa de Shannon teve que fazer uma pequena cirurgia no olho pra tratar de uma miopia. Foi quando ele viu o doutor colocar uma substância nos olhos dela - substância que permitia que a membrana se descolasse e criasse assim um pequeno vão. Foi nesse momento que ele imaginou que poderia colorir os olhos usando uma técnica parecida, mas antes ele teve a ideia de colocar uma joia nos olhos dela.

Muitos dizem que a técnica surgiu nas cadeias dos Estados Unidos, pela divulgação na mídia sobre dois detentos que apareceram com eyeball.

Publicidade
Publicidade

Na verdade, esses dois presos viram fotos do trabalho de Luna Cobra e fizeram igual. Assim, nasceu esse mito quebrado agora. Eles faziam suas experiências em olhos de porco - que um criador local jogava fora. Mais uma vez os porcos servindo como tela de ensaio, não só para tatuadores iniciantes, mas também por modificadores criadores da técnica.

Depois de muito treinar em olhos de porcos, Luna Cobra não teve nenhuma dificuldade em achar cobaias que toparam fazer o procedimento pela primeira vez em toda a história da modificação corporal. O procedimento aconteceu no dia 1º de julho de 2007. Tudo correu bem e ele fez um olho de cada vez, com intervalo de apenas uma semana.

Depois da primeira pessoa ter feito a eyeball, não demorou muito pra que muitas outras, que nem sequer tatuagens no corpo tinham, quererem fazer igual.

Publicidade

Mas ele sempre conversava com o cliente antes pra saber das convicções dele, pois a técnica era nova e estavam andando em território desconhecido. Se ele sentisse que o cliente tinha dúvidas em relação ao que realmente queria fazer, ele simplesmente não fazia.

Explicando a técnica da Eyeball Tattoo friamente - como não se trata de uma tatuagem e sim de uma injeção de cores - a habilidade de desenhar não é usada. Cores podem ser misturadas, mas a maioria prefere uma cor só. E óbvio que tem lá seus riscos conhecidos e os desconhecidos, que veremos mais a fundo em outra matéria especial sobre o eyeball. Logo após o procedimento, o cliente fica com uma extrema ardência nos olhos, muita dor de cabeça e alta sensibilidade à luz. A tinta 'desce' e deixa a parte abaixo do olho roxa, ou com a cor na qual o cliente escolheu. O primeiro registro da técnica aqui no Brasil foi no dia 12 de outubro de 2012.

O 'pai' da técnica, Luna Cobra, diz por último, que a pessoa que deseja fazer a eyeball deve tomar alguns cuidados antes de fazê-lo, como: consultar vários artistas que já tenham experiência no procedimento.

Publicidade

Quanto maior o número de pessoas em que ele já tenha feito a técnica, melhor, apesar dele afirmar que os efeitos a longo prazo são desconhecidos. Quando perguntado se hoje ele tem uma lista de tatuadores para indicar aos interessados em fazer a eyeball, uma a resposta é assustadora: "Não existe, pois você não deve tatuar seus olhos".

Nota: Shannon Larratt faleceu em 15 de março de 2013 devido a uma doença rara chamada Miopatia de Agregados Tubulares, que fazia com que seu corpo todo doesse. A dor era tão insuportável que ele pensou várias vezes em se suicidar. Ele só encontrava um pouco de alívio nas modificações corporais que fazia em si mesmo.