Existem alguns casos que parece que são até brincadeira de tão surreais que são. O que vocês vão ler agora é estarrecedor! Todo mundo sabe da discriminação que algumas pessoas tatuadas sofrem por causa de suas tatuagens, mas o que esse cara teve que aturar não foi brincadeira. Shane Hicks fez a sua primeira #Tatuagem em homenagem às pessoas que morreram no ataque terrorista mais famoso dos últimos tempos - coisa que muitos fizeram também. Mas o fato dele ser iraniano fez o caldo entornar.

Ele já fez três sessões de remoção da tatuagem mas nada adiantou: "No início eram só brincadeiras de colegas de trabalho, mas depois começaram a me acusar de homem-bomba", diz Shane. Ele tenta cobrir a tatuagem usando blusas, mas de vez em quando ela sempre aparece e os insultos continuam. Quando as pessoas notam que ele não é americano e veem a tatuagem em seu braço, têm sempre a impressão errada dos motivos pelas quais ele faz a tatuagem. Isso faz com que ele sofra muito.

Ele fez a tatuagem dois anos depois dos ataques de 11 de setembro e a vida dele virou um verdadeiro inferno depois disso. Ele conta que em 2005, foi preso durante 6 horas em Londres por suspeita de #Terrorismo somente por causa da tatuagem! Agora o cara mudou de nome, se mudou para bem longe de onde morava com sua mulher e filha, e espera que ela nunca faça uma tatuagem. Foi a primeira e única tatuagem que ele fez. É óbvio que esse episódio de discriminação, racismo e preconceito contra as etnias faria com que qualquer um tomasse a mesma decisão.

O mundo anda tão doente que uma homenagem vira motivo para prender uma pessoa, sem nem ao menos dar a ela uma chance de defesa. Viva a intolerância ridícula em que vivemos. Perdemos uma pessoa tatuada para o medo! Com isso, a mania de perseguição e até um certo preconceito estereotipado vai se perpetuando. Infelizmente, acho que essa situação está longe de acabar. São brigas por religião, por territórios, por inclusão de países em outros e outros querendo se desvincular. Temos que ter um discernimento melhor de que a vida e o amor são muito mais importantes do que qualquer crença ou raça.