Individualidade, vontade de ser único ou simplesmente por prazer as pessoas vêm buscando cada vez mais métodos novos de modificar seu corpo e sua personalidade. Esse novo comportamento foi tema de doutorado de uma pesquisadora da Espanha, onde veremos sua história numa próxima matéria. O mundo já não é o mesmo de uns 20 anos atrás, onde tatuagens e piercings chocavam e até causavam repulsa nas pessoas que não compreendiam esse estilo de vida. A cada ano que passa os procedimentos vão ficando mais radicais e até perigosos.

Alargadores de orelha, piercings por todos os lugares possíveis e imagináveis, tatuagens cada vez mais realistas e impressionantes com tintas que brilham no escuro em luzes negras. A indústria da tatuagem e modificação corporal nunca esteve tão aquecida e em evidência. Enquanto os preconceitos caem e mais adeptos surgem, ou até mesmo amantes da arte e moda alternativa, mais a sociedade vai tratando as pessoas que buscam a originalidade com mais respeito, ou até mesmo mais tolerantes.

Depois de Caim Mortis chocar o mundo com suas modificações, agora chegou a vez de um Russo mostrar que pra criatividade não tem limites! Jenya Bolotov, de 26 anos, foi transformando o rosto aos poucos em um ornitorrinco! Ele explica que há sete anos que ele vem buscando ser o mais parecido possível com um ornitorrinco. Jenya é designer e tem um fascínio muito grande por modificações e o animal da Austrália.

Ele ainda brinca que quando pequeno, disse pro pai que não sabia o que queria ser quando crescer, e o pai dele respondeu: "Você pode ser o que quiser meu filho".

Nem é necessário dizer que ele levou à risca a afirmação do pai, não é? Veja na foto a modificação dele, até se tornar o que é hoje. Um modificado, tatuado, diferente e feliz com a escolha dele! Se nosso corpo é o nosso templo, cada um de nós tem o direito de fazer o que quiser com ele, mesmo que isso possa causar espanto nas pessoas. E o que mais importa nessa vida é sermos felizes e termos individualidade! #Curiosidades