Há 15 anos, os automóveis sul-coreanos eram verdadeiros micos e pouca gente se aventurava a comprar um Kia ou Hyundai, mesmo que eles custassem até 50% menos que um Honda ou Toyota. Bom, está na hora de rever este conceito, afinal o 'Initial Quality Study 2015', mais confiável pesquisa de qualidade inicial do mercado norte-americano e referência mundial sobre o assunto, trouxe uma grande surpresa em sua classificação: pela primeira vez, Kia e Hyundai aparecem na frente de Toyota e Honda.

"É uma mudança histórica, algo que nunca tínhamos registrado", disse a vice-presidente da J. D. Power and Associates, que conduziu o estudo, Renee Stephens.

Entre fevereiro e maio deste ano, a empresa de consultoria automotiva ouviu 84 mil pessoas, nos Estados Unidos, depois de completados 90 dias da compra de seus zero-quilômetros. "Durante muito tempo, os modelos japoneses foram vistos como referência em qualidade", pontuou a executiva. "Mas há uma clara mudança neste cenário", acrescentou.

A Kia não só ficou com a segunda posição do ranking, atrás apenas da Porsche, como emplacou dois modelos, o Soul e o Cadenza, entre os "Top 10" da pesquisa.

A Hyundai ficou na quarta posição, enquanto Toyota e Honda ficaram, respectivamente, em décimo e 14º. A Kia se destacou no quesito tecnologia, em que muitas marcas andam derrapando. "Alguns dos tópicos em que o fabricante sul-coreano teve seus maiores ganhos foram áudio, entretenimento, comunicação e conectividade, além de navegação", enfatizou Renee. #Inovação #Curiosidades #Tendências

Curiosamente, Infiniti (5ª colocada) e Lexus (9ª), que são as principais marcas japonesas do segmento de prestígio, estão entre as montadoras que viram o número de problemas em seus zero-quilômetros dispararem. Para cada 100 modelos da Infiniti vendidos nos EUA, foram registradas 97 queixas de qualidade - 31 problemas a mais por amostragem, em relação a 2014. A Porsche, que ficou em primeiro, teve apenas 80 problemas para cada 100 veículos. Já o título negativo foi para a Fiat (33ª), com nada menos que 161 queixas por amostragem.