Publicidade
Publicidade
7

Para a maioria das pessoas, tampas de bueiros. aquelas grades de drenagem ou até mesmo o piso de praças, são meros objetos necessários para a organização da infraestrutura urbana. Porém, para um grupo de artistas, sua utilidade foi historicamente subvalorizada. Agora, não mais. Isso mesmo: protetores de bueiro, grades, placas e até mesmo piso de superfície podem servir para palco da criatividade.

O projeto denominado Raubdruckerin, desenvolvido por artistas germânicos, fez essas peças de metal ter um novo significado, trazendo a utilidade de servir para a criação de estampas, incrivelmente bonitas, transcrevendo em imagens, o espírito urbano.

Publicidade

No entendimento desse grupo de artistas, o processo de transformar um detalhe dos centros urbanos em uma ilustração exibida nas roupas de alguém pode ser considerado como a #Arte de rua invertida.

Para validar ainda mais a proposta, o ambiente escolhido para a criação das peças, se dá ao ar livre, geralmente em locais públicos com uma praça de lazer urbana. Essa escolha cria situações que jamais aconteceriam em uma linha de produção industrial convencional, à medida que os transeuntes passam e acompanhem o procedimento. O processo como um todo evolui e favorece a troca de resultados e novas inspirações.

Com um olhar atencioso, mãos firmes, tinta e tecido, eles transformam elementos tipicamente urbanos em matrizes para sua arte. O grupo oriundo em Berlim, começou sua arte no ano de 2006 em Lisboa, mas já se espalhou por todas as metrópoles da Europa, principalmente em Paris e Amsterdã.

Publicidade

O processo de confecção serigráfico é bastante simples: com um rolo, tinta e o artigo que deseja pintar, seja uma blusa ou uma bolsa, já é possível. No entanto, a inspiração artística é indispensável para a escolha da matriz utilizada, ou melhor, do elemento urbano desejado. O relevo das tampas de bueiros, grades ou até mesmo o piso inspirador são fielmente tingidos nas peças de maneiras distintas, formando desenhos surpreendentes e absolutamente descolados.

Pressionando a peça de vestuário no objeto untado com tinta, a superfície imprime todo seu padrão gráfico para o item trabalhado.

"Essas superfícies contam a história de cada lugar. Para capturar a beleza disso, organizamos espetáculos nas ruas para sensibilizar as pessoas de maneira a enxergarem as pequenas coisas, que até então, não teriam importância alguma em sua vida. Essa é a principal motivação do nosso projeto", diz Emma France, mentora do Raubdruckerin. #Estilo