O Ceará, assim como outros municípios que compõem a região Nordeste já há bastante tempo, enfrentam uma situação de seca perene.Esta situação pode ser alterada, caso os estudos sobre a existência de água no subsolo do estado possa continuar a ser confirmada.

Segundo dados publicados pelo jornal O Povo, o Ceará possui cerca de quatro locais que são acumuladoras de um grande volume de água em seu subsolo. São elas: A serra da Ibiapaba, a Chapada do Apodi, a do Araripe e o conjunto de Dunas e Barreiras localizado no litoral cearense. A principal característica destas formações é presença de um solo de aspecto espesso e sedimentar.

Publicidade
Publicidade

Ele apresenta uma porosidade e por este detalhe, é capaz de reter um volume de água grande, ao contrário dos outro locais, cujo solo é cristalino.

Ainda de acordo com a geóloga e analista de Recursos Hídricos, Claire Anne Viana de Sousa, a capacidade de formação deste partes, que acumulam bastante água, está na  formação dos mesmos que  vem de milhares de anos. Ela cita o exemplo do Cariri, cuja região, no passado era formado por um grande oceano. Segundo a especialista, a região de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha já possuem poços há bastante tempo. Toda a água que cai na terra em todo o Ceará, acaba por vim parar na região do Cariri. A geóloga afirma que a vazão nesta região chega de ser em torno de 100 metros cúbicos por hora, o que representa uma volume muito grande. 

Os outros locais possuem características próprias, o que diferencia  uns dos outros.

Publicidade

Por exemplo, na serra da Ibiapaba, o solo é mais arenoso, por causa dos depósitos trazidos ao longo dos anos com as chuvas. A água no subsolo tende a correr em direção ao Piauí. Neste caso, o volume de água acumulada tende a ser menor. Na chapada do Apodi, existe uma prevalência de solo mais calcário. Foi assim que foi formada a gruta de Ubajara, principalmente quando a chuva acontece. Entretanto, a fonte da água fica mais próxima da superfície, o que favorece  a sua evaporação. A reposição, no entanto, é contínua e mais rápida, o que não deixa que haja uma diminuição nos níveis circulantes.

Na faixa litorânea do Ceará, temos as falésias uma grande formação de dunas e de falésias, como por exemplo, as de Canoa Quebrada. Neste local, há um acúmulo muito grande de água. #Agricultura #Fontes renováveis #Crise no Brasil