O #Governo do estado do Ceará divulgou recentemente um levantamento feito nas cidades do interior do Estado. Foi verificado a situação de armazenamento de água de alguns açudes do Ceará. Os dados apresentados foram preocupantes, o que revela que o Ceará poderá enfrentar dificuldades em seu abastecimento. Pela pesquisa, cerca de 150 locais de reserva de água foram analisados.

Destes, aproximadamente, 90 deles estão com uma capacidade de armazenamento que vai de zero até cerca de 10% em relação ao seu volume total. O que mais chama a atenção, em termos de acúmulo hídrico, é que em certas localidades como Curu e o tórrido sertão de Cratéus, o volume armazenado não chega a 10% de seu potencial de acúmulo total.

Publicidade
Publicidade

A Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (COGERH), do Estado do Ceará, verificou, através de uma pesquisa, que os maiores reservatórios de água do Estado do Ceará são os açudes do Castanhão e o do Orós. Somando a capacidade dos dois, eles seriam responsáveis por cerca de 50% da reserva de água do estado do Ceará. As reservas compostas pela Serra da Ibiapaba, do médio e do alto Jaguaribe respondem por 21,57% e por 38,67%, respectivamente. A da serra da Ibiapaba corresponde a 22,52%. A reserva de água, que responde pela região metropolitana de Fortaleza, possui atualmente 20,42% de armazenamento.

A partir destes levantamentos, o Ceará está na iminência de enfrentar o quinto ano de chuvas escassas no estado. Por causa desta realidade, o governo estadual decretou, por meio de sua Secretaria de Recursos Hídricos, situação de risco para o Ceará.

Publicidade

A medida foi publicada no último dia 7 de outubro, no Diário Oficial do Estado e engloba todas as cidades do interior. Pela medida, poderá haver a adoção de racionamento de água nestas cidades e os cidadãos estarão sujeitos a multas, no caso de uso não correto da mesma.

Para o secretário de recursos hídricos, Francisco Teixeira, não significa que teremos racionamento imediato de água. Mas a medida é necessária a fim de que todo o estado do Ceará fique alerta para a situação atual que estaremos vivenciando nos próximos meses. Ele defende que a população deve redobrar o cuidado com desperdício e usá-la de forma consciente.

Na colaboração das medidas de racionamento de água, a FUNCEME (Fundação Cearense de Metereologia e Recursos Hídricos), publicou análise, afirmando que, possivelmente, o ano de 2016 será ano de estiagem. Isto por que haverá uma prevalência do fenômeno El Niño, que será responsável pela falta de chuvas, em quantidade suficientes, para que possa haver o abastecimento total dos reservatórios hídricos do Estado.

As precipitações até poderão ocorrer nas regiões do Estado, entretanto, serão insuficientes para garantir o acúmulo de água que possa livrar o Ceará de um possível racionamento.

  #Crise #Agricultura