A Justiça condenou os seis homens acusados de matar Lucas Craveiro Alves, que era delegado da Polícia Civil do Estado do Piauí. O fato aconteceu na capital cearense, Fortaleza, no primeiro trimestre de 2014, em uma das avenidas mais movimentadas da cidade, a avenida Washington Soares. A decisão foi dada no dia 01 de dezembro pelo juiz titular da 1ª Vara Criminal de Fortaleza.

Jardel de Sousa Façanha, Lindoval Vicente da Silva Júnior, Pedro Paulo Alves Dos Santos e além dos irmãos Francisco Renato Marques e Francisco Rodrigo Marques Silva, são os acusados e se as penas foram somadas passam de 204 anos de detenção. A decisão final proferida por Sílvio Falcão foi que houve latrocínio (roubo seguido de morte), associação criminosa, posse de arma que estava com o número de identificação adulterado e porte ilegal de arma. 

Durante a sentença, Falcão Filho enfatizou que a casa de Jardel era como um QG (quartel general) do bando.

Publicidade
Publicidade

Lá ele juntamente com os outros acusados, planejavam os próximos roubos, ficavam escondidos depois de praticar os delitos e também dividiam os pertences que foram subtraídos de seus donos. Faziam festas que eram regadas com muitas drogas, bebidas e mulheres.

O acontecimento

A peça inauguratória de ação penal que o MPCE (Ministério Público do Ceará), a ação ilícita se deu no  ano de 2014 no dia 17 de março, nas primeiras horas da manhã. Lucas Craveiro foi alvo de tiros depois de ser assaltado. O mesmo estava andando para entrar no seu veículo, depois parar em uma lanchonete, o carro do delegado estava perto da lanchonete. Lindoval, Renato, Francisco Antônio, Pedro Paulo e Rodrigo, estavam em um carro que haviam roubado horas antes, e iniciaram o crime contra a vítima. Lindoval Vicente da Silva foi o autor dos tiros, que atingiram Craveiro.

Publicidade

O assaltante ainda levou tiros que foram disparados pelo delegado em sua defesa. A polícia recuperou depois de alguns dias, a arma que foi levada da vítima, que era cearense e tinha 33 anos, porém trabalhava no estado vizinho, no Piauí. #Ataque #Violência #Investigação Criminal