Na tarde da última terça-feira, 5, por voltas das 13h, a polícia prendeu um homem chamado Antônio Soares Timóteo, de 31 anos, que estava numa casa no bairro Messejana, em Fortaleza. Ele foi pego com mais de 100 cartões clonados e diversos equipamentos eletrônicos, afirmou o delegado.

A residência que funcionava como fábrica de cartões clonados fica na Rua Santa Ângela, no bairro Messejana. Os policias chegaram ao local através de uma denúncia anônima e logo observaram uma movimentação suspeita na residência.

Antônio, que foi preso, chegava toda manhã à casa que era alugada e não tinha nada em seu interior, só servindo como fábrica.

Publicidade
Publicidade

Ele ficava na casa montando os aparelhos e depois ia embora. Ele se diz responsável pela fabricação e clonagem dos cartões magnéticos, mas a policia não acredita que ele agia sozinho.

O delegado Jaime Paulo Pessoa Linhares, responsável pelo caso, disse que na delegacia Antônio informou que agia em parceria com outras pessoas. O delegado não divulgou nomes para não atrapalhar as investigações.

O grupo vinha agindo desde outubro de 2015. Eles agiam instalando os aparelhos nos caixas eletrônicos com o objetivo de roubar dados e senhas de usuários. Eles colocavam chupas-cabras e micro câmeras nos parafusos dos caixas.

A polícia trabalha para identificar os integrantes da quadrilha e o chefe do grupo, com nome Júnior. Segundo o delegado, pedidos de prisão preventiva para os envolvidos estão sendo feitos. Antônio foi autuado em flagrante por estelionato, falsificação de documento público e por guardar apetrechos de falsificação.

Publicidade

Os criminosos utilizavam os cartões para sacar dinheiro de diversas bandeiras: sócio torcedor, sócio de clube e cartão presente de supermercado. Os cartões não eram bem elaborados como os originais, sendo perceptível a cópia. Tudo que importava eram as senhas e os nomes no cartão, que eram nomeados de Santos Santos, os Santos e Souza T. Souza.

A polícia já identificou algumas das vitimas, que registraram Boletins de Ocorrência.  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia