A mosca sempre foi o tipo de inseto mais incômodo do que perigoso, mas agora parece ter ficado com inveja da fama do seu colega mosquito e não é mais tão inocente. O mosquito Aedes aegypti começou a apavorar o Brasil e outros cantos do mundo quando passou a transmitir, silenciosamente, seus vírus: a dengue, a febre Chikungunya e o mais recente, Zika. Qualquer #Doença ocasionada por sua picada, que não machuca ou coça, causa, no mínimo, febre, dores no corpo e manchas avermelhadas. A intitulada “Virose da Mosca” também transmite febre e dores, contudo um conjunto extra de doenças sazonais, como diarreia e vômitos.

As emergências da Unidade de Pronto Atendimento (UPAs) e os postos de saúde de Fortaleza e do Interior começaram a lotar de pacientes com essas queixas e as moscas rapidamente viraram suspeitas de serem as transmissoras.

Publicidade
Publicidade

A alegação é de que o período chuvoso do começo do ano acarretou um aumento dessas refugiadas nos lares das famílias, assim repassando suas bactérias nos ambientes onde pousam. De acordo com o depoimento de Antônio Lima, médico infectologista e gerente da célula vigilante epidemiológico, para o jornal O Povo, os casos triplicaram não só em Fortaleza como em todo o estado e as crianças são mais propensas a gerar a doença.

“A doença não tem notificação compulsória, ou seja, não tem registro obrigatório, portanto, não tem o número de registros dos casos”, ele afirma, e ainda explica que “a contaminação acontece por meio de alimentos e também pela falta de higiene, por isso, se faz necessário lavar as mãos e as frutas, manter os alimentos cobertos para evitar a proliferação desta bactéria”. Na maioria dos casos não é preciso chegar à internação, pois o tratamento pode ser realizado por hidratação oral, todavia, se a situação piorar é recomendado reidratação venosa durante algumas horas em uma unidade de atendimento médico.

Publicidade

A Secretaria da Saúde do estado do Ceará já alertou em nota todas as Coordenadorias regionais de saúde, municípios, hospitais, clínicas, unidade de saúde e laboratórios sobre a notificação de casos e surtos de Doenças Diarreicas Agudas (DDA), considerando o período de chuvas e a sazonalidade da ocorrência das DDA na localidade. Os objetivos descritos na nota são: detectar precocemente os surtos, descobrir suas causas e conhecer os agentes etiológicos circulantes. Resta saber se mais algum inseto pretende atacar enquanto a fama dos seus colegas está no auge. #Dicas