Uma comissão será criada para averiguar os fatos, que ocasionaram o desastre em uma ponte que estava em obras no bairro Aerolândia. Ela será composta por órgãos ligados a prefeitura, entidades como o Creace (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia). Pessoas ligadas ao MP (Ministério Público), PC (Polícia Civil), Bombeiros e o MT (Ministério do Trabalho).

A informação veio através da prefeitura e na tragédia ocorreu o óbito de dois operários e sete deles se feriram. No local segundo relatos, estavam trabalhando trinta funcionários que faziam a concretagem das estruturas.

A empresa que estava realizando a obra será notificada, através de seu responsável e a mesma terá que prestar esclarecimentos sobre o ocorrido.

Publicidade
Publicidade

O RESGATE

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os resgates ás vítimas se encerraram na madrugada de terça-feira (23), em torno das 3h. Houve suspensão dos trabalhos durante a noite, por temerem outro desastre, mas voltaram às buscas ás 1h30.

AS VÍTIMAS

Prestaram o socorro ás vítimas do acidente e elas foram encaminhadas para o Instituto Dr. José Frota e foi em número de três, no total somaram sete.

A noite um trabalhador foi liberado e os outros dois permaneceram no #Hospital para avaliação médica, mas segundo informações estão fora de perigo. Os outros sofreram pequenos machucados e passam bem, não precisaram ser internados.

Os trabalhos de construção que estavam sendo realizados no bairro Aerolândia começaram no mês de julho de 2015. Estavam sendo feitas uma rotatória, dois viadutos entre as avenidas Governador Raul Barbosa e General Murilo Borges.

Publicidade

O primeiro segmento da obra foi o aumento e elevação da ponte, em cima do estreito do Lagamar e uma nova também está no projeto para ser construída, no lado oposto.

A VISITA

Nesta segunda-feira (22), Roberto Cláudio (prefeito de Fortaleza) realizou visita ás três pessoas do desastre e estavam internadas no Instituto Doutor José Frota.

De acordo com o administrador, elas estavam lúcidas, passavam bem e não corriam risco de vida. #Violência