O projeto de lei que pretende bloquear o sinal de celulares perto dos presídios e que será votado nesta quinta-feira, dia 10, na Assembléia Legislativa, é uma das principais causas das ameaças sofridas pelo deputado federal Vítor Valim (PMDB-CE) e o deputado estadual Capitão Wagner (PR-CE).

Desde a última quarta-feira, dia 9, um áudio está sendo divulgado através das redes sociais que traz ameaças ao deputado Federal Vítor Valim. Veja a seguir o que diz o trecho das mensagens:

“Cuidado, Vítor Valim, não mexa com a minha família que o trem bala te pega, cuidado, vai passar por cima. Tá querendo atrapalhar o andamento do estado.

Publicidade
Publicidade

(…) Tu não tem peito de aço, tá querendo aparecer. É melhor tu ficar quieto que nada vai te acontecer. É o primeiro comando, tá ligado, é o PCC”.

O parlamentar vem cobrando sérias medidas ao governo do estado para que possa tomar providências a respeito do aumento do número de facções criminosas. Apesar disto, as autoridades da segurança pública do estado do Ceará tem negado a existência de tais grupos. As palavras do deputado são as seguintes:

“Nos últimos dias, no meu Estado do Ceará, seis delegacias foram metralhadas, a sede da Secretaria de Justiça, dez ônibus foram ateados fogo. E eu, por combater a #Violência, por combater e por denunciar o PCC e o Comando Vermelho no meu estado, fui ameaçado de morte por carta, ameaçado por vídeo enviado por presidiários de dentro do presídio, como também em música.

Publicidade

Eu quero aqui pedir providências ao ministro da Justiça, à Polícia Federal, ao governador do meu estado, não podemos nos quedar, nos calar perante essa investida da violência do #Crime organizado do meu estado”.

De dentro dos presídios, os detentos ameaçam e mandam vídeo reclamando das condições precárias nas quais são obrigados a viver diariamente e ainda xingam o parlamentar de 'vagabundo'. A seguir leia o trecho do vídeo no qual o deputado sofre os ataques:

"O cara tem que chupar aí no cano pra poder encher o tanque, pra poder cair água, Vitor Valim! Isso aí é certo, vagabundo? Cadê, agora mostra aí na televisão aí pra tu ver! Se não resolver nosso problema aqui nós resolve do nosso jeito, entendeu? Com nós é na bala, nós resolve é na bala! Aí vem depois com negócio de secretaria não sei daonde ai, querendo reclamar sobre nós aqui, passando maior necessidade".

#Casos de polícia