Um assalto, em uma praça da grande Fortaleza, situada na Rua Bento Albuquerque, no bairro Cocó, deixou um juiz aposentado morto, na tarde desta terça-feira, dia 8. Edvalson Florêncio Marques Batista, de 77 anos, caminhava com sua esposa pela praça, quando dois adolescentes, em uma bicicleta, anunciaram o assalto. Eles exigiram o cordão da sua esposa, e do juiz as chaves do carro e o celular. Segundo testemunhas o mesmo não entregou o celular, tentou recuar e por isto, foi baleado por um dos assaltantes, com um tiro na perna, que atingiu a artéria femural. Apesar da tentativa de socorro pelo SAMU, que efetuou todos os procedimentos necessários, o juiz não resistiu e veio a falecer ainda no local.

Publicidade
Publicidade

Os dois suspeitos fugiram a pé e um terceiro adolescente,  que dava cobertura a dupla, foi apreendido como suspeito na morte do magistrado, na rua Santo Afonso, na Favela do Pau Finim, que fica localizada no bairro vizinho, Papicu, por policiais do Décimo Quinto Distrito Policial (DP). Segundo o major Hideraldo Belline, do Oitavo Batalhão de Polícia Militar (BPM), patrulhas estão sendo feitas na comunidade para apreender os suspeitos.

O magistrado, no ano de 2013, foi homenageado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Secção Ceará. Ele foi presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Ceará (CaaCe), entre os anos de 1983 e 1985.

A Associação Cearense de Magistrados (ACM) lamentou profundamente o episódio e publicou a seguinte nota de pesar a respeito do ocorrido:

"É intolerável a perda da vida do magistrado que, uma vez aposentado de suas atividades judicantes, simplesmente exercia sua condição de cidadão, como todo cearense, fazendo caminhada numa praça - ambiente público onde deveria haver espaço somente para atividades focadas no bem-estar e no convívio pacífico e harmonioso entre as famílias".

Publicidade

As informações a respeito do horário e local do velório e sepultamento do corpo do magistrado, ainda não haviam sido divulgados pela família até o final da noite desta terça-feira. #Crime #Violência #Investigação Criminal