A pré-candidatura da deputada federal e ex-prefeita Luizianne Lins à Prefeitura de Fortaleza recebeu amplo apoio, tanto do #PT nacional quanto estadual, bem como do ex-presidente #Lula, que está fazendo um esforço para apoiar candidaturas em capitais onde o partido já tenha governado. Entretanto, por questão de divergência com o governador Camilo Santana, que também é do PT, Lula deverá ficar de fora da campanha no Ceará.

Camilo, assim como Roberto Claudio (PDT) atual prefeito de Fortaleza foram eleitos aos cargos que ocupam atualmente com as bênçãos do ex-governador Cid Gomes. Entretanto, o PT de Fortaleza, ligado à Luizianne rompeu com Cid nas eleições municipais de 2012.

Publicidade
Publicidade

Na época, Luizianne era prefeita e queria indicar alguém do seu partido para sua sucessão. O então governador Cid Gomes lançou Claudio, à época pelo PSB e Luizianne lançou Elmano de Freitas (PT). Os dois foram para o segundo turno e Elmano perdeu.

As eleições para a capital do estado devem ter ao menos quatro candidatos com potencial: além de Roberto Claúdio, que tem apoio de um grande grupo político, Luizianne, que conta com uma boa base de militância; Heitor Férrer (PSB) e Capitão Wagner (PR), que terá reforço por parte do PMDB de Eunício e do PSDB.

Entenda o caso

Luizianne Lins ganhou as eleições para a Prefeitura de Fortaleza em 2004, assumindo em 2005. Nas eleições gerais de 2006, uma grande coalizão levou Cid Gomes ao governo do Estado. O PT indicou o vice (Francisco Pinheiro) e, em 2008, Cid apoiou a reeleição de Luizianne.

Publicidade

Em 2010, o PT apoiou Cid para a reeleição, abrindo mão da vaga de vice para concorrer ao Senado com José Pimentel.

E então, em 2012, veio o racha

Em 2014, parte do PT ligada à Luizianne fez campanha independente, apoiando a presidente Dilma Rousseff a reeleição, mas mantendo independência da campanha de Camilo Santana, candidato à sucessão de Cid.

Atualmente, Camilo enfrenta um desafio: equilibrar-se entre a campanha do correligionário e apoiador, pertencente, como ele ao grupo fiel a Cid e a campanha da colega de partido, Luizianne. Ele já havia declarado apoio à reeleição de Roberto Claudio, mas parte do PT é a favor de que ele se mantenha imparcial. A estratégia de Lula, ao não vir ao estado fazer campanha para Luizianne é manter uma boa convivência política com o governador e com o grupo político dos Ferreira Gomes. Ciro, que é eventual candidato à Presidência em 2018 tem dito que não concorrerá contra Lula. Uma eventual composição ou um apoio do ex-presidente (caso não possa disputar) não estaria descartado. #CiroGomes