Viver nas capitais brasileiras e nas grandes cidades de nosso país é ter a certeza de conviver com o problema da mobilidade urbana. Enfrentar no dia a dia a re  alidade do transporte urbano nesses lugares é algo bem difícil. Ônibus lotados, trens sucateados, metrôs insuficientes são uma realidade.

Há o grande desejo da população de que os governantes solucionem o problema do transporte urbano. Temos uma frota gigantesca de carros e motos que sufocam as ruas e não possuímos serviço de transporte público de qualidade que faça a população substituir seu transporte particular. 

Pelo país afora, vemos muitas iniciativas na tentativa de resolver ou ao menos amenizar o problema, como rodízio de carros, aumento de linhas de metrô, implantação de VLTs, carros e bicicletas compartilhadas.

Publicidade
Publicidade

Quem vive ou passeia por Fortaleza convive  já a algum tempo com um novo equipamento acessível a toda população, permitindo se deslocar mais facilmente pela cidade. Trata-se do Bicicletar.

O projeto foi desenvolvido na gestão do prefeito Roberto Cláudio e tem recebido muitos elogios da população e também dos turistas, que veem nesse tipo de transporte uma alternativa para fugir do cada vez mais conturbado trânsito fortalezense.

A UNIMED, empresa privada que atua no ramo de planos de saúde e está presente em boa parte do país, monta e faz a manutenção dos equipamentos. São em torno de 60 estações com 600 bicicletas espalhadas por vários bairros de nossa capital. Essas bicicletas estão sendo utilizadas pela população para diversos fins. Alguns passeiam, outros vão às escolas e universidades e, ainda há os que utilizam-nas para o trabalho.

Publicidade

Quem deseja fazer uso  das bicicletas compartilhadas, precisa baixar um aplicativo na internet, fazer um cadastro e pagar uma taxa que lhe dará direito a utilização. Você pega uma bicicleta e pode ficar com ela por um período de até 3h, devolvendo-a em qualquer uma das estações.

Além de melhorar a mobilidade, também há o incentivo a prática de atividades físicas, auxiliando na melhoria da saúde das pessoas que aderem a esse tipo de transporte.

Resolver o problema da mobilidade não é um modismo ou algo supérfluo. É na verdade, uma necessidade. Todas as cidades, mesmo aquelas que não são grandes metrópoles e que ainda não tem o trânsito como um problema, já devem investir em alternativas de mobilidade, procurando prevenir esse problema, ao mesmo tempo que estimula a população a viver e agir de forma sustentável. #Turismo #Comportamento