O Ceará é um dos estados brasileiros que teve, nos últimos dez anos, números assustadores de homicídios praticados tanto na capital quanto nos municípios.

Segundo dados oficiais fornecidos pela Secretaria de #Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará, foram assassinadas 25.932 pessoas entre os anos de 2007 e 2016. Somente em 2016, foram 3.407 óbitos contabilizados. Este número inclui os homicídios dolosos, as lesões corporais que resultaram em morte e os latrocínios.

Mesmo assim, em comparação com os últimos quatro anos, houve uma queda no número de mortes, tendo em vista que nos anos anteriores os números foram bem maiores.

Publicidade
Publicidade

Em 2012, foram 3.565 assassinatos. Em 2013, pulou para 4.462. Já em 2014, foram contabilizados 4.439 mortos, sendo que em 2015, baixou um pouco para 4.019 registros.

Ao analisar os dados o governador do Ceará, Camilo Santana atribui a melhora nos números em função dos investimentos feitos no setor, contudo, reconhece a necessidade de avançar ainda mais.

No início deste ano, o governador cearense anunciou mudança no dirigente da pasta de segurança pública do estado. Tomou posse o policial federal, André Costa, formado em Direito e especialista em Ciências Criminais. Com 17 anos de experiência na área, o recém-empossado secretário, que também é cearense, promete estar atento às demandas dos policiais e das comunidades.

O novo secretário inaugurou, este mês, a operação chamada "Cartão de Visita", na qual realizou incursões em bairros onde os índices de violência são mais elevados e que tem o controle dos traficantes.

Publicidade

Para André Costa, essa operação serve também para aproximar os homens da alta cúpula da segurança dos policiais que estão no dia a dia na linha de frente.

Durante coletiva à imprensa realizada esta semana, após prender suspeitos de terem assassinado um policial, o secretário declarou que "ma partir de agora, os bandidos só terão duas opções: a Justiça ou o cemitério.

Em 2016, o número de policiais assassinados ganhou destaque na mídia local revelando cada vez mais a ousadia dos criminosos. #Violência #Casos de polícia