Nos anos 70 tínhamos um motivo a mais para lutar por nossos ideais. Ouvíamos músicas que demonstravam sentimentos reais de um futuro promissor. Tínhamos vontade de sair às ruas com os "cabelos ao vento" e dar um basta a tanta injustiça que havia naquele tempo. A palavra "cálice" foi um dos estopins para não nos calarmos ao ver tanta indiferença despejada contra nosso povo, este, marcado por tanto sofrimento e humilhação desde a criação de nossa pátria, "mãe gentil". Íamos a luta.

Vivenciamos a ditadura e apesar de tudo conseguimos inserir nossos ideais na cabeça "daqueles poucos egocêntricos" que obrigatoriamente engoliram nossa luta garganta abaixo.

Publicidade
Publicidade

Mas apesar de tudo essa fase desceu pela garganta e nossa "liberdade" de expressão, de ação e de pensamentos e ideais enfim estava garantida.

Nessa época não passava pelas nossas cabeças até que ponto o ser humano poderia agir para atingir seus objetivos, pensávamos que o momento de lutas pela igualdade e intelectualidade havia se findado neste momento da história.

Sim, cremos na democracia. Sabemos que esta é sensata e coerente e que todos devem ser tratados igualmente; indiferente se "alguns poucos de seres" ainda hoje, em pleno século 21 pensa e age ao contrário. Seja pobre ou rico, negro ou branco ou ao menos visto pela sociedade como "belo" ou "feio", pouco importa. Essas questões deveriam por obrigação ser tratadas como um crime, pois na fase em que nossa sociedade se encontra não poderia mais permitir contra a raça humana em geral esse tipo de abuso.

Publicidade

Tanto a moral quanto a sua condição de ser existente e pensante como somos.

Passaram se décadas e apesar de tudo, caro leitor, estamos sucumbindo ao poço da humilhação humana. Quando ao invés de estarmos cantando protestos ou lutando por melhores condições em nossa sociedade "falida". Estamos na "pista" usando gestos corporais e palavras medíocres sem sentindo algum para sobreviver. Não temos hoje uma causa para qual lutar, pois a área da saúde está ótima, educação e moradia nem se fala. Quando saímos as ruas não temos um motivo sólido de luta - por que razão iríamos protestar por tanto abuso político que ocorre no Brasil?.

Temos sim, alguns poucos manifestantes que ainda tentam, mas a condição que a própria sociedade impôs faz com que nosso povo "desça até o chão" e sumam até não restar mais poeira pois na sociedade atual "quem tem motor faz amor quem não tem passa mal".