Neste artigo irei contar algumas situações engraçadas que passei nos meus vinte e cincos anos de carreira. Um dia ganhei uma jaca de um aluno. No dia anterior ele me perguntou: - Tia, você gosta de jaca?; Respondi com a maior naturalidade: - Sim, gosto. Quando respondi esta pergunta não imaginei que no dia seguinte ele apareceria com uma jaca enorme. Achei linda a atitude dele. Mas ao mesmo tempo pensei: O que eu faço com a jaca, pego uma faca e divido com a turma ou levo a jaca para casa. Pensei... Pensei... E resolvi que era melhor levar a jaca, pois se não fizesse isto podia parecer desfeita. Lá fui eu com a jaca. Quando entrei no carro que alugávamos todos fizeram piadas de mim e da jaca e carreguei a jaca do ponto até chegar a minha casa.

Publicidade
Publicidade

Outra situação curiosa que passei, foi em relação a uma musiquinha muito conhecida de quem trabalha nos primeiros anos do ensino fundamental. A musiquinha dizia: - Bom dia professora como vai... Foi a mesma coisa que ter colocado alarme na sala, toda vez que uma determinada colega ou as outras professoras vinham tirar alguma dúvida comigo, os alunos cantavam. A única saída que tive foi a seguinte: Pedi aos alunos que bastava cantar uma vez quando o professor aparece na sala.

Na época que lecionei nas primeiras séries do ensino fundamental não tinha professor especializado de #Educação física. Quem trabalhava a disciplina éramos nós mesmos. Eu tinha o costume de brincar com as crianças de dança das cadeiras, boca de forno, mamãe da rua, corda, queimada. Um dia cansada das brincadeiras sentei em um banquinho de madeira e fiquei observando as crianças e me chamou a atenção uma turma de meninas pegando flores do campo.

Publicidade

Pensei o que será que estas meninas irão fazer com as flores.

Estas meninas vieram até a mim, sentaram no banco que estava e me pediram: - Tia, deita sua cabeça no nosso colo e feche os olhos. - Eu perguntei: Para quê?; - Elas responderam: - Deita tia, a senhora vai ver para quê. Encheram meu cabelo de flores. E elas disseram: Não tira viu. Você ficou linda! Meu Deus! Tive mais uma vez que ir embora toda enfeitada de flores e só retirei as flores ao chegar a Caratinga.

Estas são algumas das aventuras que vivi com os meus alunos dos primeiros anos do ensino fundamental. Na cabeça deles eu era professora Helena, Narizinho, Emília e a professora maluquinha do Ziraldo Alves Pinto. Roubando as palavras de uma colega: Ganhamos pouco, mas nos divertimos muito.